Aos Fatos

Seja um apoiador

Checamos

Leia as últimas declarações checadas pela equipe do Aos Fatos

Mais

Explore todos os nossos conteúdos e checagens

Correios não oferecem vagas no Facebook; posts são isca para roubar dados

Por Luiz Fernando Menezes

10 de outubro de 2019, 15h19


Publicações no Facebook que anunciam falsas vagas de emprego nos Correios atraem usuários da rede social para um golpe de roubo de dados (veja aqui). Segundo a estatal, a única forma de contratação de funcionários que ela adota é por meio de concursos públicos.

Na última segunda-feira, Aos Fatos mostrou que publicações que trazem anúncios falsos de emprego servem de isca para roubar dados dos usuários que se mostrem interessados pelas vagas. As páginas que divulgam as falsas oportunidades pedem informações pessoais e até login e senha das pessoas na rede social em troca de um emprego que, na verdade, não existe.

Os anúncios falsos sobre as vagas nos Correios têm sido publicados por diversas páginas no Facebook, acumulando mais de 5.000 compartilhamentos até a tarde desta quinta-feira (10). O conteúdo foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


FALSO

PRECISA-SE. VAGAS ABERTAS. Correios. VAGAS ABERTAS ATÉ 15/10. PRECISAMOS COM OU SEM EXPERIÊNCIA. MASCULINO E FEMININO. 19 vagas.

São falsos os anúncios de vagas nos Correios que têm sido publicados no Facebook. Segundo as postagens, a empresa estaria com oportunidades abertas em diversas cidades e não exigiria experiência dos interessados. As vagas, no entanto, não existem. Segundo os Correios, em nota enviada ao Aos Fatos, as suas contratações são feitas apenas mediante concursos públicos.

Na última segunda-feira (7), Aos Fatos mostrou que publicações semelhantes têm o objetivo de roubar dados dos usuários. Os posts pedem que os interessados digitem “sim” ou “ok” nos comentários do anúncio para que uma conversa por mensagem privada seja iniciada. São requisitadas, assim, informações como idade e cidade de residência, além de ajuda no compartilhamento das falsas vagas.

Se o usuário segue os procedimentos apontados pelas páginas durante a conversa, ele pode dar, sem perceber, permissão para que outras pessoas acessem sua conta na rede social e vejam dados como fotos e até mensagens privadas.

Além de vagas falsas nos Correios, já foram verificadas postagens que citam ofertas na rede Havan, nas Casas Bahia, e outras que oferecem caixas de brinquedos infantis.

Colaborou Ana Rita Cunha.

Referências:

1. Aos Fatos (Fontes 1, 2, 3 e 4)