Aos Fatos

Aos Fatos adere a iniciativa de verificação de notícias do Facebook

10 de maio de 2018, 16h00


A partir da próxima semana, Aos Fatos passará a checar conteúdo distribuído no Facebook por meio de seu programa de verificação de notícias. O anúncio, feito nesta quinta-feira (10) pela rede social, faz parte de uma ofensiva mundial da empresa de tecnologia com o objetivo de combater a distribuição de desinformação em suas plataformas.

Em nível internacional, a parceria contempla os veículos certificados por cumprir as melhores práticas de verificação estabelecidas pela rede internacional dos checadores, a IFCN (International Fact-Checking Network). No Brasil, é parte da iniciativa, além do Aos Fatos, a Agência Lupa. A íntegra do anúncio feito pelo Facebook pode ser lida aqui.

As duas empresas de verificação terão acesso às notícias denunciadas como falsas pela comunidade do Facebook. A partir disso, deverá analisar sua veracidade. Os conteúdos classificados como falsos terão sua distribuição orgânica reduzida de forma significativa no Feed de Notícias. Páginas no Facebook que repetidamente compartilharem notícias falsas terão todo o seu alcance diminuído.

Veja, abaixo, como os usuários poderão reportar conteúdo suspeito ao Facebook e, então, ao Aos Fatos.

Esse mecanismo permitiu cortar em até 80% a distribuição orgânica de notícias consideradas falsas por agências de verificação parceiras nos Estados Unidos, onde a ferramenta já está funcionando há algum tempo.

“Estamos comprometidos em combater a disseminação de notícias falsas no Facebook. Essa parceria com Aos Fatos e Agência Lupa é mais um passo em nossos esforços para combater a desinformação e melhorar a qualidade das notícias que as pessoas encontram no Facebook”, afirma a líder de parcerias com veículos de mídia do Facebook para América Latina, Cláudia Gurfinkel.

"Aos Fatos foi criado sob a premissa de que todas as pessoas têm direito à informação verificada. Essa iniciativa casa bem com essa filosofia, além de amplificar o necessário trabalho dos checadores de fatos durante um período crítico da história brasileira", diz a diretora de Aos Fatos, Tai Nalon.

“Entramos neste projeto com muita energia e acreditando fortemente no impacto que ele terá, ainda mais num ano eleitoral. Melhorar a qualidade do debate público é um desafio para toda a sociedade, e estamos felizes em participar desta iniciativa junto com o Facebook”, diz a diretora da Agência Lupa, Cristina Tardáguila.

Além de reduzir o alcance de conteúdos considerados falsos, o Facebook enviará notificações para pessoas e administradores de páginas que tentarem compartilhar esse conteúdo, alertando-os que a sua veracidade foi questionada por agências de verificação.

Notícias consideradas falsas pelas plataformas de checagem não poderão ser impulsionadas no Facebook. E as páginas que publicarem com frequência tais conteúdos não terão mais a opção de usar anúncios para construir suas audiências.

Artigos relacionados. Os checadores poderão, ainda, associar a sua checagem a uma notícia que tenha sido questionada. Esse texto com a checagem será mostrado no feed de notícias por meio do recurso Artigos Relacionados, fornecendo mais contexto às pessoas para que tomem decisões mais informadas sobre o conteúdo que consomem.

Não entendeu como funciona? Veja, abaixo, uma explicação ainda mais objetiva.

Por que o Aos Fatos?

Aos Fatos foi contratado pelo Facebook para atuar como third party fact-checker (verificador independente) por ser membro verificado da IFCN (International Fact-checking Network no Brasil). Para o Facebook, era indispensável envolver nesse projeto verificadores que tivessem passado pela auditoria internacional realizada pela IFCN anualmente. Aos Fatos já acumula dois selos de auditoria: o de 2017 e o de 2018.

A avaliação externa, realizada por avaliadores independentes, atesta que a plataforma cumpre os cinco princípios éticos da rede internacional de checadores: é transparente quanto à metodologia de trabalho, quanto às fontes que usa e quanto a seu financiamento. Também tem uma política pública para eventuais correções e trabalha de forma apartidária. Leia mais sobre as auditorias aqui.

Como funciona a parceria com o Facebook?

Aos Fatos terá acesso a uma plataforma desenvolvida pelo Facebook, com links para notícias que foram compartilhadas na rede social e que podem ser falsas. A seleção das notícias potencialmente falsas será feita a partir de denúncias da própria comunidade, uso de machine learning e também por sugestões dos próprios verificadores.

Uma vez dentro da plataforma, os checadores selecionarão os links para trabalhar, obedecendo a critérios de relevância jornalística, e aplicar neles a metodologia de verificação do Aos Fatos. Depois de concluir sobre a veracidade do conteúdo, eles classificarão esses conteúdos conforme as etiquetas da plataforma do Facebook, de forma a identificar sua veracidade. Os posts que receberem etiquetas negativas terão sua distribuição orgânica reduzida na rede social. Aos Fatos se propõe a publicar em seu site todas as checagens realizadas dentro deste projeto.

Durante quanto tempo dura a parceria do Aos Fatos com o Facebook?

O primeiro contrato entre o Aos Fatos e o Facebook para a realização de checagens vai de maio a dezembro de 2018.

Por que o Facebook recorreu ao Aos Fatos para fazer checagem?

A redução do alcance de notícias falsas na plataforma é um dos pilares do trabalho do Facebook contra a desinformação.

O Facebook definiu uma parceria com o Aos Fatos — e com outros membros da IFCN mundo afora — para combater a disseminação de notícias falsas. O trabalho proposto pelo Facebook no combate à desinformação tem outros dois pilares principais: remover conteúdos que ferem as políticas da plataforma e ajudar a construir uma comunidade mais informada, dando, por exemplo, mais destaque ao jornalismo de qualidade no Feed de Notícias.

A parceria do Facebook com o Aos Fatos vai levar à censura de conteúdos?

Não. Os posts que receberem etiqueta negativa do Aos Fatos não serão removidos do Facebook. Apenas terão sua distribuição orgânica reduzida de forma significativa. Nos Estados Unidos, onde o produto foi lançado há algum tempo, o mecanismo permitiu diminuir em até 80% o alcance de notícias consideradas falsas por agências de verificação parceiras. Só são removidos do Facebook os conteúdos que violam os Padrões da Comunidade. Saiba mais sobre eles aqui.

Onde serão publicadas as checagens feitas nessa parceria?

Todas as checagens feitas pelo Aos Fatos serão publicadas no site e nas redes sociais do Aos Fatos. Os clientes do Aos Fatos também poderão utilizar o conteúdo.

O que acontece com páginas no Facebook que tiverem muitos posts classificados como falsos?

As páginas no Facebook que repetidamente compartilharem notícias falsas terão todo o seu alcance diminuído. Além disso, notícias consideradas falsas pelas agências de verificação não poderão ser impulsionadas no Facebook. E as páginas que publicarem com frequência tais conteúdos não terão mais a opção de usar anúncios para construir suas audiências.

O que acontece com os usuários durante este projeto?

As pessoas que usam o Facebook poderão dar feedback sobre notícias compartilhadas na plataforma que considerarem suspeitas, colaborando com a iniciativa. Caso uma matéria já tenha sido marcada como falsa por uma agência e ainda assim ela for compartilhada, as pessoas também passarão a ver os links do Aos Fatos como “Artigos Relacionados” no Feed de Notícias do Facebook, dando outra perspectiva sobre aquela história. Por fim, caso alguém tenha compartilhado um link no passado e que tenha sido marcado agora como falso, essas pessoas receberão alertas sobre esses conteúdos.

Esse projeto só existe no Brasil?

Não. O Facebook já tem third party fact-checkers (verificadores independentes) em diversos países, entre eles Estados Unidos, França, Itália, Filipinas e México. Todos os checadores contratados pelo Facebook são membros da International Fact-checking Network e trabalham de forma semelhante em seus territórios. Conheça a lista.