Aos Fatos

Foto de mulher segurando pilha de pinos de cocaína não foi tirada na Ufes

Por Luiz Fernando Menezes

13 de maio de 2019, 12h01


É falsa a legenda que acompanha a foto de uma mulher segurando uma pilha de pinos usados para armazenar cocaína. Segundo a peça de desinformação, o lixo foi encontrado na Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo), mas, na verdade, a imagem registra uma ação realizada pelo Instituto EcoFaxina no manguezal de Santos (SP) no final de abril.

A legenda enganosa foi publicada por perfis pessoais no Facebook e acumulava mais de 28 mil compartilhamentos até a tarde desta segunda-feira (13). Denunciado por usuários da rede social, o conteúdo foi marcado por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela plataforma (entenda como funciona).


FALSO

Aos mal informados, isto é uma mostra de uma pequena quantidade de pinos de crack e cocaína recolhidos na área da Universidade Federal do Espírito Santo. Será que alguém ainda acha que as atitudes do governo são um 'equívoco'???????

A legenda acima acompanha a foto de uma mulher com uma bandeja de lixo sólido (em sua maioria, pinos de cocaína) que supostamente teria sido encontrado no entorno da Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo).

A foto, no entanto, não foi tirada no Espírito Santo nem tem relação com nenhuma universidade. A imagem é do Instituto EcoFaxina e retrata uma das voluntárias do mutirão de recolhimento de lixo realizado no manguezal do bairro São Manoel, em Santos (SP), no dia 28 de abril. Segundo a Prefeitura de Santos, foram retirados mais de 500 kg de resíduos sólidos da área, como embalagens de alimentos, sacolas, brinquedos, remédios, entre outros.

O boato parece ter surgido como uma piada no Twitter. O usuário @madinsouza2D utilizou a imagem para fazer graça com a universidade, dizendo “Galera, por favor sem jogar pino no mangue perto da Ufes”. Dias depois, o mesmo usuário fez um novo post para apontar que a publicação anterior não era séria e divulgar a fonte verdadeira da foto.