Aos Fatos

Barra colorida na caixa de leite é teste de impressão da embalagem, não sinal de produto vencido

Por Bernardo Moura

29 de novembro de 2018, 17h00


Não é verdade que “barrinhas coloridas” na parte inferior de caixas de leite sinalizam que o produto venceu e foi reprocessado pelo fabricante para ser novamente vendido no comércio. O elemento corresponde a um teste de cores para o controle de qualidade da impressão da embalagem e nada tem a ver com produtos vencidos, de acordo com a TetraPak, fabricante do material e líder mundial no segmento.

O boato surgiu na semana passada em um post de Facebook e, desde então, tem se espalhado por esta rede e também pelo WhatsApp. Uma das publicações denunciadas por usuários do Facebook já alcançou mais de 11 mil compartilhamentos. Esta e outras, com idêntico conteúdo, foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

Todo produto encaixado (leite, creme de leite, leite condensado, achocolatado, etc.) tem uma dessas imagens abaixo que fica no fundo da caixa. A que tem uma "barrinha colorida" é produto que já venceu, voltou para o fabricante e colocaram mais produtos para reaproveitar voltou para o mercado. A que não tem, é produto novo, que ainda não venceu e está ótimo para consumo.

A publicação traz uma imagem das partes inferiores de duas caixas de leite longa vida. Uma tem duas fileiras de quadrados coloridos e a outra não. A legenda indaga “Vocês sabem a diferença dessas duas caixas de leite?” para depois responder que a caixa com a “barrinha colorida” seria o produto “que já venceu, voltou para o fabricante e colocaram mais produtos para reaproveitar”, tendo sido enviado de volta ao comércio. Nada disso é real.

A TetraPak, fabricante de embalagens de alimentos e a maior empresa do segmento no mundo, informou ao Aos Fatos nesta quinta-feira (29) que a barra colorida serve apenas para garantir que a marca do produto foi apresentada da forma correta, pois “corresponde a um teste de cores que é feito para o controle de qualidade de impressão nas embalagens”.

Ainda segundo a empresa, “como imprimimos mais de uma embalagem na bobina, não há necessidade de imprimir este teste de cores em todas as embalagens, por isso encontramos embalagens com e sem a impressão desta ‘barra colorida’”. O elemento, portanto, nada tem a ver com o reaproveitamento de laticínios vencidos.

A hipótese de reprocessamento de um produto como o leite longa vida, aliás, nem mesmo é possível. Para ser vendido na caixinha, o leite passa por um processo chamado UHT, que é uma ultrapasteurização que eleva a temperatura do produto a mais de 135ºC para eliminar todos os microorganismos. Logo, o alimento não manteria as características originais de consumo caso passasse novamente por este processo após o vencimento. O leite UHT, por exemplo, viraria uma espécie de ricota.

A legislação também veda a comercialização de produtos vencidos. De acordo com o artigo 7 da Lei nº 8.137/90, é proibido “vender ou expor à venda mercadoria cuja embalagem, tipo, especificação, peso ou composição esteja em desacordo com as prescrições legais, ou que não corresponda à respectiva classificação oficial” e “misturar gêneros e mercadorias de espécies diferentes, para vendê-los ou expô-los à venda como puros”.