Aos Fatos

Vídeo de resgate na Síria em 2016 é atribuído a soldados israelenses em Brumadinho

Por Bernardo Moura

29 de janeiro de 2019, 20h06


Um vídeo de 2016 que mostra socorrista sírio após resgatar bebê dos escombros de prédio em Idlib, na Síria, circula nas redes sociais como se fosse um resgate em Brumadinho efetuado por soldados israelenses que estão no Brasil para ajudar nas buscas a desaparecidos no desastre.

Com trechos das imagens e a informação enganosa, uma publicação feita no Facebook no fim da tarde desta terça-feira (29) já acumula mais 1.300 compartilhamentos. O post surgiu na rede horas após o comandante das operações de resgate em Brumadinho dizer que os equipamentos trazidos pelo exército de Israel “não são efetivos para esse tipo de desastre”.

O conteúdo foi denunciado por usuários da rede social e marcado por Aos Fatos como FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pelo Facebook (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que verificamos.


FALSO


PRA CALAR A BOCA DE JORNALISTAS DE MERDA. FORAM OS EQUIPAMENTOS ISRAELENSES QUE TIRARAM DA LAMA A CRIANCA COM VIDA. E O CHORO DE UM SOLDADO ISRAELENSE NÃO COMOVE ESSA RAÇA QUE SE INSTALOU E GANGRENOU O NOSSO PAÍS!

Nada tem a ver com a atuação do Exército de Israel em Brumadinho o vídeo que tem sido compartilhado nas redes sociais desde a tarde desta terça-feira (29). As imagens mostram Abu-Kifah, um socorrista voluntário do grupo sírio conhecido como Capacetes Brancos, logo após resgatar um bebê de cerca de um mês que estava soterrado nos escombros de um prédio bombardeado na cidade de Idlib, no noroeste da Síria, em 2016. Chorando, ele carrega a menina no colo para dentro de uma ambulância.

O vídeo que tem sido compartilhado nas redes sociais substitui o áudio original, que pode ser conferido em imagens exibidas à época pela rede CNN, aqui, por uma música gospel. Desta forma, foi possível esconder que as pessoas estavam falando em árabe.

Abaixo, o vídeo original:

É interessante notar ainda que o vídeo ganhou as redes sociais logo após a imprensa repercutir declaração do comandante das operações de resgate em Brumadinho, tenente-coronel Eduardo Ângelo, de que os equipamentos trazidos pelos soldados israeleneses para Brumadinho não são adequados para a tragédia provocada pelo rompimento de uma barragem na última sexta-feira (25).

“O ministro de Israel se pronunciou a respeito das dificuldades que eles tiveram. O imagiador que eles têm pegam corpos quentes, e todos os corpos [na região] são frios. Então esse já é um equipamento ineficiente”, disse, de acordo com relato da Folha de S.Paulo.

O embaixador israelense no Brasil, Yossi Shelley, disse nesta terça-feira (29) que os soldados devem retornar ao país do Oriente Médio na próxima sexta-feira (2). Segundo reportagem do Estado de Minas, o diplomata estava “visivelmente triste com a atuação” do exército de Israel e declarou que “será difícil encontrar sobreviventes".

Os 136 militares israelenses desembarcaram no Brasil na noite de domingo (27) para auxiliar os trabalhos de resgate de desaparecidos em Brumadinho. Além dos soldados, o governo de Israel enviou cães farejadores e cerca de 16 toneladas em equipamentos.