Aos Fatos

Reprodução

O Brasil e a produção mundial de aviões

Por Sérgio Spagnuolo

23 de fevereiro de 2016, 03h52


Veiculado nesta terça-feira (23) em cadeia nacional de rádio e TV e distribuído nas redes do PT já na segunda-feira, o programa partidário petista enumera realizações das gestões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff. O primeiro usa cerca de um minuto da peça publicitária para fazer uma defesa de seu legado — e afirma, dentre realizações como a alta geração de empregos pelo país nos últimos 13 anos, que o Brasil é o terceiro maior exportador de aviões no mundo.

Aos Fatos checou a declaração e viu que a afirmação se aplica apenas ao ramo de jatos comerciais. A afirmação recebe, portanto, o selo IMPRECISO.


IMPRECISO
Somos o terceiro maior exportador de aviões no mundo.

A Embraer é, de fato, uma das maiores fabricantes mundiais de aviões, disputando a terceira colocação com a canadense Bombardier. No entanto, a empresa brasileira é a terceira maior exportadora do mundo de jatos comerciais — como ela mesma deixa bem claro em seu website.

É importante notar esse detalhe, pois existem outras categorias no setor, como aviação militar e de jatos executivos, que também representam parcela significativa de vendas de aeronaves.

No total de entregas de aeronaves em 2014, a Embraer ficou em quarto lugar, com 215 entregas — atrás de Boeing, Airbus e Bombardier, de acordo com a Statista. Veja, abaixo, dados de 2014.

Fonte: Statista