Aos Fatos

Não é verdade que 520 mil usuários saíram do Bolsa Família por medo de auditoria de Bolsonaro

Por Luiz Fernando Menezes

11 de janeiro de 2019, 17h52


Uma montagem que está circulando nas redes sociais engana ao sustentar que 520 mil usuários desligaram-se do Bolsa Família após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) prometer uma auditoria no programa de transferência de renda. Esse número, na verdade, corresponde ao número de famílias que deixaram voluntariamente de receber o benefício desde 2003. As publicações analisadas fazem parecer que a informação falsa consta no site da Secretaria Especial de Desenvolvimento Social, que recebeu as atribuições do extinto Ministério de Desenvolvimento Social.

Como os dados de desligamento do Bolsa Família só são divulgados no fim de cada mês, não é possível saber ainda quantos beneficiários saíram do programa desde que o novo governo assumiu, na semana passada.

A publicação foi marcada com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (entenda como funciona). O conteúdo foi postado inicialmente pela página Curitiba Contra a Corrupção, onde já tem mais de 2.500 compartilhamentos, mas também se espalhou pelo WhatsApp, e leitores do Aos Fatos a enviaram como sugestão de checagem. Para participar, mande mensagem para (21) 99956-5882.


FALSO

Governo Bolsonaro em 7 dias de governo tira meio milhão de pessoas da pobreza: medo da auditoria causa debandada de beneficiários do Bolsa Família

As características da imagem publicada com o post já permitem verificar que se trata de uma montagem. Por exemplo, o título “520 mil e 148 pessoas solicitaram o desligamento voluntário em todo país” não tem a mesma fonte que os outros enunciados da página. Ao acessar a página do Ministério da Cidadania, é possível constatar que a informação foi simplesmente colada por cima de um print da tela. Veja abaixo:

Na realidade, uma propaganda do então Ministério do Desenvolvimento Social (extinto no último dia 1º) de dia 26 de dezembro do ano passado anuncia que, desde 2003, “520 mil e 148 pessoas solicitaram o desligamento voluntário [do Bolsa Família] em todo o país”. O áudio explica que os usuários que conseguiram conquistar autonomia e independência podem solicitar o desligamento do programa para que “o valor que recebia auxilie outras famílias”.

Isso significa, portanto, que o número citado pela montagem não se refere aos sete primeiros dias do governo Bolsonaro nem representa famílias que fugiram da auditoria prometida pelo presidente, como afirma a publicação checada. O número, além de ser um acumulado desde 2003, representa famílias que pediram o desligamento do programa de forma voluntária.

No Relatório de Informações Sociais do extinto MDS é possível verificar apenas os dados de dezembro de 2018 de usuários ativos do Bolsa Família. Segundo o sistema, cerca de 14 milhões de famílias receberam o benefício no mês passado. Mas, como o número é atualizado mensalmente, só será possível observar uma eventual redução no número de beneficiários no governo Bolsonaro no início de fevereiro.

É fato que Jair Bolsonaro anunciou, antes de sua posse, que submeteria os programas sociais do governo federal a auditorias para verificar se existem beneficiários recebendo auxílios sem necessidade: “Projeto social tem que ser para tirar a pessoa da pobreza e não para mantê-la num regime de quase dependência. Nós não queremos nenhum brasileiro dependendo do Estado”, disse em evento da Brigada de Infantaria Paraquedista no Rio de Janeiro.

A Agência Lupa e o Boatos.org também publicaram checagens a respeito deste material.