Aos Fatos

Imagem viral distorce comentário de Ciro sobre Patrícia Pillar em 2002

Por Luiz Fernando Menezes

6 de outubro de 2018, 17h08


Uma imagem publicada no Facebook nesta sexta-feira (5) distorce uma declaração proferida por Ciro Gomes em 2002 sobre a participação de sua então mulher Patrícia Pillar na campanha presidencial daquele ano, e que foi considerada machista.

Segundo a montagem que circula na rede social, Ciro disse: “Mulher tem é que calar a boca e não dar um pio. Pois o único papel da minha mulher é o de dormir comigo”. Mas, na verdade, o que atual presidenciável do PDT falou foi: “a minha companheira tem um dos papéis mais importantes, que é dormir comigo. Dormir comigo é um papel fundamental”.

Além disso, a imagem também omite que, em seguida, Ciro tentou se retratar pelo comentário e disse: "evidentemente eu estou brincando. Essa minha companheira tem uma longa tradição de manejar assuntos sociais, tem muita inteligência, muita sensibilidade (...) Tenho imensa satisfação de poder contar com as opiniões dela e com a militância dela, que tem sido muito generosa".

Publicada em um perfil pessoal, a imagem já conta com mais de 80 mil compartilhamentos no Facebook. Denunciada por usuários da rede social, ela foi marcada por Aos Fatos com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação (entenda como funciona). A classificação é utilizada quando um conteúdo checado mistura informações verídicas com outras que são totalmente falsas ou que estão fora de contexto.


DISTORCIDO

"Mulher tem é que calar a boca e não dar um pio. Pois o único papel da minha mulher é o de dormir comigo" - Ciro Gomes

A imagem que circula no Facebook distorce uma declaração de Ciro Gomes em 2002, e que, à época, rendeu ao candidato acusações de machismo. Na ocasião, o político disse que "a minha companheira tem um dos papéis mais importantes, que é dormir comigo. Dormir comigo é um papel fundamental". O fato foi noticiado pela Folha de S.Paulo em 31 de agosto de 2002 e repercutiu na campanha presidencial daquele ano, em que Ciro concorria pelo PPS.

Apesar de citar a reportagem da Folha de S.Paulo como fonte, a imagem que viralizou nas redes sociais não só distorce a declaração original como omite o fato de que Ciro tentou, em seguida, consertar o comentário infeliz. Segundo o texto publicado pela Folha:

Ao perceber a gafe, enquanto os cerca de 20 jornalistas que estavam no local, entre repórteres e cinegrafistas, olhavam para Patrícia esperando sua reação, Ciro - visivelmente envergonhado - reformulou a resposta.

‘Evidentemente eu estou brincando. Essa minha companheira tem uma longa tradição de manejar assuntos sociais, tem muita inteligência, muita sensibilidade’, afirmou o candidato.

‘Tenho imensa satisfação de poder contar com as opiniões dela e com a militância dela, que tem sido muito generosa’.

A reportagem da Folha citada como fonte na imagem viral também não traz qualquer declaração de Ciro Gomes próxima de “mulher tem que é calar a boca e não dar um pio”. Aos Fatos procurou outras reportagens e vídeos nos quais Ciro pudesse ter dito algo essa frase ou algo nesse sentido, mas a única declaração próxima encontrada foi numa matéria do jornal O Globo de 2007, na qual o candidato, irritado com as perguntas de um repórter da revista Época, disse: “cala a boca. Deixa eu acabar de falar”.

Durante o lançamento de sua pré-candidatura à Presidência da República este ano, Ciro Gomes pronunciou-se em relação ao comentário de 2002 sobre Patrícia Pillar: “talvez possa ter sido o maior erro que cometi na vida”. Na ocasião, o candidato também afirmou que foi educado para “respeitar as mulheres” e que, se eleito, trabalharia para enfrentar as desigualdades, incluindo a de gênero.

Procurada para comentar a checagem, a assessoria de Ciro Gomes não respondeu até a tarde deste sábado (6).