Aos Fatos

É falso que funcionário registrou presença de deputados ausentes na Câmara

Por Amanda Ribeiro

12 de junho de 2019, 16h57


Não é verdade que um funcionário do Congresso Nacional foi flagrado em vídeo registrando presença para deputados ausentes, como afirmam publicações nas redes sociais (veja aqui). A gravação foi feita no parlamento da Ucrânia em 2017 e mostra um congressista colocando fichas de votação sobre as mesas dos colegas.

O conteúdo enganoso, que circulou pela primeira vez no Brasil em fevereiro do ano passado, também já foi usado como fonte de boatos na Espanha e na Argentina, onde foi desmentido por agências de checagem como a Newtral e o Chequeado, respectivamente.

Compartilhadas nas redes sociais por dezenas de perfis pessoais, as postagens com o vídeo já acumulam cerca de 1.200 compartilhamentos no Facebook. Todas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO
Funcionário do Congresso registrando a presença dos deputados que não foram trabalhar.

Voltou a circular nas redes sociais um boato surgido no início de 2018 em que o vídeo de um homem distribuindo fichas sobre mesas vazias em um plenário é atribuído a um funcionário da Câmara dos Deputados brasileira registrando presença de congressistas ausentes. A cena, no entanto, não ocorreu no Brasil e mostra a distribuição de cédulas de votação no Parlamento ucraniano.

Segundo informa o Newtral, agência de checagem espanhola que entrevistou membros de um movimento da sociedade civil ucraniana, o responsável pelo vídeo é o fotógrafo Yan Dobronosov. Ele gravou e publicou o vídeo em seu Facebook em junho de 2017. A postagem tem a localização marcada no Verkhovna Rada, o Conselho Supremo da Ucrânia, sede do Poder Legislativo local. Ali, um parlamentar distribui fichas para uma votação que, diferentemente do método eletrônico adotado no Congresso brasileiro, usa cédulas de papel.

Além disso, o próprio vídeo traz indícios que mostram não ter sido gravado no Brasil. Logo no início, é possível perceber a presença de uma pequena bandeira ucraniana presa a uma das bancadas do ambiente. Uma comparação entre os espaços físicos do Legislativo da Ucrânia e da Câmara dos Deputados também ajuda a mostrar que as imagens não se passam no Brasil. Enquanto as poltronas ucranianas são vermelhas, as da Câmara brasileira são cinza. Veja abaixo:

Outro fator que deve ser considerado é que a presença de deputados na Câmara brasileira não é controlada por meio de fichas, mas por identificação biométrica. O recurso ajuda a evitar fraudes como a que é sugerida pelas postagens.

Já utilizado para espalhar boatos sobre a Espanha e a Argentina, o vídeo também circulou no Brasil em fevereiro do ano passado, quando postagens afirmavam que o deputado que aparecia nas imagens estaria marcando a presença de colegas que não haviam comparecido por conta do Carnaval. Algumas versões da publicação diziam, inclusive, que o homem que distribuía as cédulas era o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). O vereador Carlos Bolsonaro, irmão do deputado, chegou a desmentir as afirmações à época em sua conta do Twitter.

Referências:

1. Newtral
2. Câmara
3. Chequeado
4. Veja