Aos Fatos

Pexels

Google une-se a Aos Fatos e lança selo de verificação

publicado em: 15 de fevereiro de 2017, às 15h56


Em um novo esforço para combater a desinformação disseminada em sites de notícias falsas, o Google lança nesta quarta-feira (15), em parceria com Aos Fatos, o selo "verificação de fatos". Desse modo, segundo a gigante da internet, será possível "ajudar as pessoas a identificarem reportagens cujas informações tenham sido verificadas por organizações independentes".

Isso será possível graças a uma marcação chamada Claim Review, que relacionará por algoritmo nossas checagens a notícias de temas buscados.

Além de Aos Fatos, participam da empreitada as brasileiras Agência Pública e Agência Lupa, o argentino Chequeado e os mexicanos ChecaDatosMx e El Sabueso. O selo já está disponível nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Alemanha e na França.

"A checagem de fatos se firmou como uma área importante do jornalismo nos últimos anos dentro de veículos tradicionais e startups de mídia, que trabalham para averiguar a veracidade de informações sobre mitos urbanos, política, saúde e até a própria imprensa", diz o Google em seu anúncio oficial.

No Brasil, os usuários do Google verão o selo no material que aparecer na seção expandida do site news.google.com.br, além dos aplicativos do Google Notícias e Clima para iOS e Android. Conforme a gigante da internet, o selo também estará disponível no modo "Notícias" dentro do tradicional buscador. Isso significa que, quando o usuário fizer uma pesquisa no Google e clicar na aba "Notícias"ou realizar uma busca direto no site do Google Notícias, encontrará referências com a indicação "Verificação de fatos".

Atualização: a partir de 7 de abril de 2017, o selo de verificação também passou a aparecer na ferramenta principal de busca do Google. Segundo a empresa, a tecnologia não estará disponível para rigorosamente todas as pesquisas feitas na plataforma, mas somente naqueles temas em que houver conteúdo relevante produzido por checadores parceiros.

"Ao permitir que conteúdo checado esteja mais visível na nossa ferramenta, acreditamos que as pessoas terão mais facilidade em encontrar e analisar esse material, bem como em formar suas opiniões", disse a empresa em nota.

Veja mais detalhes sobre a migração no comunicado oficial do Google.