Aos Fatos

Pixabay

Facebook une-se a checadores em esforço contra notícias falsas

15 de dezembro de 2016, 17h55


Quase um mês depois de um grupo de checadores de várias partes do mundo endereçarem ao fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, uma carta aberta contra a disseminação de notícias falsas, a rede social divulgou nesta quinta-feira (15) um pacote de ações para combatê-las.

A iniciativa contará com a participação de signatários do código de princípios da International Fact-Checking Network, rede de aglutina checadores de todo o mundo baseada no Poynter Institute, nos Estados Unidos. Aos Fatos faz parte desse grupo.

A ação, entretanto, terá início apenas nos Estados Unidos e será feita de forma colaborativa — ou seja, as plataformas envolvidas não serão remuneradas pelo Facebook para checar informações na rede.

Segundo o Facebook, um dos primeiros passos para monitorar notícias falsas será estimular seus usuários a reportá-las. Ele deverá clicar no canto superior direito de um post. Elas poderão ser encaminhadas à rede de checadores para eventual verificação.

Se os checadores envolvidos na iniciativa classificarem a história como falsa, ela será publicamente marcada e terá um link para a justificativa correspondente, que dará contexto. Essas mesmas histórias também terão acesso dificultado pelo algoritmo que regula o feed do Facebook.

Todos os posts, porém, poderão continuar a ser compartilhados. Segundo o Facebook, não haverá censura ou limitação de acesso.

Trust Project. Ao lado de veículos nacionais de diversas origens e mídias, Aos Fatos participará do Projeto Credibilidade — braço brasileiro do Trust Project, da Universidade Santa Clara, nos EUA.

O projeto conta com um consórcio de mídia que pretende refletir a respeito da fragmentação de notícias no ambiente digital, bem como desenvolver ferramentas que estimulem a presença de um jornalismo confiável e de qualidade na internet.

Organizada pelo Projor, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Mídia e Tecnologia da Unesp, a primeira newsletter do consórcio foi distribuída na semana passada.