Aos Fatos

Declaração de Cid Gomes é tirada de contexto e atribuída a Fernando Haddad

21 de setembro de 2018, 14h15


Um post enganoso publicado no Facebook sugere que o homem que aparece em um vídeo afirmando que "desvio de dinheiro é natural e intrínseco ao serviço público" é o candidato à Presidência da República do PT, Fernando Haddad. A informação não é verdadeira. O político na imagem — visualizada mais de duas milhões de vezes — é Cid Gomes (PDT), ex-governador do Ceará e irmão de um dos adversários de Haddad nas eleições presidenciais, Ciro Gomes (PDT).

Este conteúdo foi verificado pelo Comprova, coalizão de veículos de imprensa brasileiros do qual Aos Fatos é parceiro institucional. As informações checadas foram confirmadas pela equipe do Aos Fatos, que classificou o vídeo com o selo DISTORCIDO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona). Essa classificação é usada quando um conteúdo traz informações verídicas misturadas a outras que são incorretas, desatualizadas ou que foram retiradas do contexto original.

Veja, abaixo, os detalhes.


DISTORCIDO

100% ABSURDO! Olha a visão do candidato de LulaLadrão (Malddad), o cara que vocês irão votar a pedido do LulaLadrão, a mesma coisa de Dilma e Temer, ou talvez pior ainda!

A descrição da publicação diz: “Olha a visão do candidato de Lula (Haddad), o cara que vocês irão votar a pedido do Lula, a mesma coisa de Dilma e Temer, ou talvez pior ainda”. A declaração provocou inconformidade em alguns usuários. “Ladrão safado. Natural né bandido.vamos banir VCS do Brasil corja de pilantras”, comentou um deles.

No entanto, a declaração foi feita por Cid Gomes, ex- governador do Ceará e irmão do candidato à Presidência Ciro Gomes, no dia 29 de setembro de 2014. O comentário sobre desvios foi feito em defesa de Camilo Santana (PT), que, na época, era candidato a governador do Ceará e foi envolvido em um escândalo político relacionado a desvio de verbas destinadas à construção de sanitários para famílias carentes no estado cearense.

Santana, sucessor e aliado de Cid, teve o nome envolvido porque era o secretário de Cidades quando o chamado “escândalo dos banheiros” veio à tona. Ele sempre negou irregularidades e disse que suas contas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

“Desde que existiu o dinheiro, existe quem procure roubar o dinheiro (sic). A diferença entre um governo sério e um governo conivente, é que o governo sério, quando descobre, pune. E foi o que o Camilo fez quando assumiu a secretaria [de Cidades] e viu que tinha um escândalo”, disse Cid, no vídeo original, após se referir à normalidade dos desvios.

No dia 8 de agosto de 2018, o Comprova mostrou que outra frase, também atribuída a Cid Gomes, foi falsamente relacionada ao candidato Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo as estatísticas do Facebook, o vídeo do post enganoso foi assistido mais de 2,8 milhões de vezes e compartilhado 159 mil vezes desde que foi publicado, no dia 1º de setembro.