Aos Fatos

Como o brasileiro vê a corrupção no país

Por Sérgio Spagnuolo

9 de outubro de 2017, 12h00


O Legislativo federal é o Poder mais corrupto para os brasileiros, seguido de perto pelo alto escalão Executivo, de acordo com pesquisa da Transparência Internacional divulgada nesta segunda-feira (9). O Judiciário fica distante, em terceiro lugar.

Essa diferença de percepção entre o sistema de Justiça e os demais Poderes é singular na América Latina. Os demais países em geral não veem o Judiciário tão descolado do Legislativo e do Executivo quando o assunto é corrupção.

A ONG internacional que monitora a corrupção entrevistou mais de 22 mil pessoas em meados de 2016 em 20 países da América Latina, sendo 1.204 delas no Brasil. O objetivo era medir a percepção da população sobre a corrupção em seus países.

Governo faz pouco. Para 56% dos brasileiros entrevistados, o atual governo tem feito um trabalho insuficiente para combater a corrupção, ao passo que apenas 35% acreditam que as autoridades lidam bem com a questão.

Isso fica dentro da percepção da maior parte da América Latina: dos 20 países pesquisados, em apenas em seis (Argentina, Nicarágua, El Salvador, Honduras, Equador e Guatemala) a maioria dos entrevistados acredita que seus governos fazem um trabalho mais satisfatório.

Uma unanimidade na região, por outro lado, é que há a percepção de que a corrupção aumentou. No Brasil, nada menos do que 78% das pessoas acreditam nisso, ficando atrás apenas de Venezuela (87%), Chile (80%) e Peru (79%).

"No Brasil, subornos pagos em troca de serviços públicos tiveram índices muito menores, mas os cidadãos foram críticos de esforços do governo para combater a corrupção, e uma grande maioria acreditava que o nível de corrupção estava em ascensão", concluiu o relatório.