Aos Fatos

Vídeos de pessoas gritando ‘Fora Globo’ não foram gravados em Brumadinho

Por Luiz Fernando Menezes

29 de janeiro de 2019, 17h42


Dois vídeos com pessoas gritando “Fora Globo” a jornalistas da emissora estão sendo falsamente indicados nas redes sociais como se tivessem sido gravados em Brumadinho (MG). Segundo as publicações, os moradores do município que sofre os efeitos do rompimento de uma barragem teriam se manifestado contra a Rede Globo e impedido os repórteres de trabalhar. Nada disso é verdade.

Um dos vídeos é de 2013 e foi gravado durante um protesto na Avenida Paulista. O outro é de 2018 e mostra manifestantes em apoio à greve dos caminhoneiros.

Os vídeos (aqui e aqui) com as falsas atribuições se espalharam pelas redes sociais desde o fim de semana após o desastre com o rompimento de barragem na região. Um deles já acumula quase 34 mil compartilhamentos no Facebook. Todas as publicações enganosas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (entenda como funciona).


FALSO

FORA GLOBO EM BRUMADINHO

Globo é hostilizada em Brumadinho Minas Gerais. Gritos (Fora Globo) fim da Globo. (MAMATA ACABOU)

Dois vídeos com pessoas gritando com repórteres da Rede Globo estão circulando pela internet como se tivessem sido gravados em Brumadinho (MG) após o desastre na última sexta-feira (25). Aos gritos de “Fora Globo” e “O povo não é bobo, abaixo à Rede Globo”, os vídeos mostram jornalistas sendo impedidos de fazerem suas reportagens.

Nenhum dos vídeos, no entanto, é verdadeiro. Em busca reversa com os frames do vídeo, Aos Fatos verificou que as imagens, na verdade, já estavam disponíveis no Youtube em abril de 2013. O mais provável é que a repórter estivesse cobrindo o protesto de professores que ocorreu no Avenida Paulista, em São Paulo, no dia 19 de abril. Os profissionais reivindicavam maior ajuste salarial, mudanças na política de contratação de novos docentes, além de medidas contra a violência nas escolas. No final do vídeo, de cerca de um minuto e meio, inclusive, é possível ver o MASP (Museu de Arte de São Paulo).

Já o segundo vídeo é de Minas Gerais, mas foi gravado em Montes Claros em 2018. Naquela época, os jornalistas estavam cobrindo uma manifestação de apoio à greve dos caminhoneiros. A reportagem, mesmo com os gritos de “Fora Globo”, foi finalizada.