Aos Fatos

Vídeo que mostra carro atacado por manifestantes não é da greve geral

Por Luiz Fernando Menezes

18 de junho de 2019, 12h12


Não foi gravado durante protestos da greve geral da última sexta-feira (14) um vídeo (veja aqui) em que manifestantes de esquerda depredam um carro. As imagens, na verdade, são de maio de 2017 e mostram o momento em que um veículo é atacado após furar o bloqueio de uma manifestação realizada em Goiânia contra o governo de Michel Temer e atropelar duas pessoas.

Esta é a segunda vez que o vídeo é utilizado nas redes sociais de forma descontextualizada e omitindo o atropelamento que motivou o ataque para incriminar manifestantes. Em setembro de 2018, as mesmas imagens foram utilizadas para sugerir que o carro teria sido atacado por petistas que se sentiram intimidados com um adesivo de Jair Bolsonaro colado no veículo.

O vídeo descontextualizado foi publicado pela página Vem Pra Rua Niterói na sexta-feira (14) e acumula, até a manhã desta terça-feira (18), cerca de 34 mil compartilhamentos. O conteúdo foi marcados por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (entenda como funciona).


FALSO

Manifestação pacífica e democrática do PT, PSOL, CUT… #sqn #agrevefoiumfiasco

Voltou a circular nas redes sociais um vídeo publicado pelo site G1 em 18 de maio de 2017 que mostra um carro sendo atacado por manifestantes com camisas e bandeiras de partidos de esquerda. As publicações, no entanto, sugerem que as imagens foram registradas durante a greve geral da última sexta-feira (14), o que não é verdade.

As imagens originais retratam o momento em que um carro, durante um protesto em Goiânia contra o então presidente Michel Temer, é atacado por furar o bloqueio dos manifestantes. Segundo a reportagem do G1, a depredação ocorreu logo após o veículo atropelar duas pessoas.

A motorista e seu acompanhante não ficaram feridos. Já uma das vítimas do atropelamento teve de ser levada para o Hospital de Urgências de Goiânia, enquanto a outra apenas sofreu ferimentos em um dos braços.

O mesmo vídeo já foi utilizado, em setembro de 2018, para sugerir que as imagens capturavam o momento em que a motorista e uma criança eram atacadas “por apoiadores do PT de Haddad e Lula só por ter um adesivo de Jair Bolsonaro”. Como Aos Fatos já verificou, não havia nenhum adesivo e nenhuma criança dentro do carro.

Outro lado. Aos Fatos entrou em contato com a página Vem Pra Rua Niterói para que pudesse comentar a checagem. Até a publicação desta matéria, no entanto, não houve resposta.

Referências:

1. G1
2. Aos Fatos