Aos Fatos

Telegram não disse que hackers alteraram mensagens vazadas da Lava Jato

Por Ana Rita Cunha

13 de junho de 2019, 16h02


Não é verdade que o aplicativo Telegram confirmou em sua conta no Twitter que hackers alteraram textos das mensagens vazadas do ministro Sergio Moro, do procurador Deltan Dallagnol e de outros integrantes da força-tarefa da Lava Jato, divulgadas nesta semana pelo site The Intercept Brasil. A foto que circula nas redes sociais com o comunicado da empresa é uma montagem (veja aqui).

Aos Fatos constatou que o tweet não consta no perfil @telegram. Além disso, a mensagem foi escrita em português em um perfil que só posta em inglês. Com erros, o texto em si também foge ao padrão da comunicação adotada pela empresa. O aplicativo de mensagens já negou, tanto na conta em inglês, quanto na em português, que tenha havido ataque hacker ao aplicativo no caso da Lava Jato e disse ser "mais provável que tenha sido malware [um tipo de vírus] ou alguém que não esteja usando uma senha de verificação em duas etapas".

Publicado por perfis pessoais no Facebook, a desinformação já tinha cerca de dois mil compartilhamentos nesta quinta-feira (13). As postagens com o conteúdo foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.



FALSO

Urgente! A invasão já seria crime, agora o Telegram confirma que o texto divulgado foi manipulado. Atitudes imediatas, tirar o site do ar e prender Glenn Greenwald!

Não é verdade que o Telegram teria admitido que hackers alteraram os textos das mensagens do ministro da Justiça, Sergio Moro, e de procuradores da força tarefa da Lava Jato divulgadas pelo site The Intercept. A mensagem que circula no Facebook questionando a credibilidade do material divulgado sobre as autoridades é acompanhada de uma montagem feita sobre um tweet de resposta da conta oficial do Telegram.

A imagem do tweet mostra um texto indicado como “comunicado oficial” do Telegram e que contém vários erros de pontuação e grafia, o que destoa do padrão geral de comunicados publicados pela empresa.

Além disso, o tweet da imagem está escrito em português, mesmo atribuído à conta @telegram, que publica apenas em inglês. Os conteúdos em português são divulgados na conta @telegram_br.

O Telegram negou, tanto na conta em inglês, quanto na em português, que tenha havido qualquer ataque hacker ao aplicativo. Nas mensagens que publicou respondendo a outros usuários, a empresa afirmou que "é mais provável que tenha sido malware [um tipo de vírus] ou alguém que não esteja usando uma senha de verificação em duas etapas", ao ser questionado sobre o vazamento de mensagens de procuradores e de Moro.

A montagem foi feita sobre uma reprodução da tela da primeira resposta do Telegram a um usuário no Twitter sobre as acusações de invasão hacker ao aplicativo. Veja a comparação do tweet original com a imagem falsa que circula nas redes sociais.