Aos Fatos

Publicação que compara declarações de Bolsonaro e Hitler não é livro infantil

Por Luiz Fernando Menezes

13 de agosto de 2019, 17h45


Foto de página da publicação satírica francesa Le cahier de vacances de Manu (O almanaque de férias de Manu, em tradução livre) com um jogo que compara frases de Adolf Hitler e Jair Bolsonaro tem sido veiculada nas redes (veja aqui) como se fosse de um livro infantil. Na verdade, o material não é para crianças e busca ironizar o presidente francês Emmanuel Macron e outros políticos.

Postagens com este conteúdo foram marcadas por Aos Fatos com o selo DISTORCIDO, pois, apesar de real, a imagem tem sido difundida em um contexto enganoso. No Facebook, esta desinformação reúne ao menos 3.000 compartilhamentos em posts que foram marcados na ferramenta de verificação (veja como funciona). O material também foi enviado por leitores do Aos Fatos no WhatsApp como sugestão de checagem (inscreva-se aqui).


DISTORCIDO

Em Paris são vendidos almanaques de férias para crianças, com passatempos e cruzadinhas. Esse ano foi lançada uma versão chamada "Le cahier de vacances de Manu", com uma atividade sobre o presidente Jair Bolsonaro. O exercício consiste em descobrir quem falou as frases listadas, se alguém do Partido Nazista ou o presidente brasileiro.

É verdade que a publicação satírica francesa Le cahier de vacances de Manu (O almanaque de férias de Manu, em francês), lançada em maio deste ano, traz uma página com uma atividade que compara frases atribuídas ao líder nazista Adolf Hitler e ao presidente Jair Bolsonaro. Porém, é falso que o almanaque seria destinado originalmente a crianças, como afirmam posts nas redes sociais, que omitem ainda seu caráter humorístico.

O Manu do título da obra é uma referência ao presidente francês Emmanuel Macron. Segundo os autores da publicação, os jornalistas e comediantes Charline Vanhoenacker e Guillaume Meurice, ela foi criada como forma de diversão, mas também para compilar “as besteiras do senhor Manu, o presidente da República [Macron], e seus amiguinhos". Em vídeo publicado no Twitter, Guillaume diz que crianças podem fazer os exercícios e até compreenderão algumas das piadas, mas os adultos é que se divertirão com o almanaque. Na Amazon, é possível ver outros exercícios semelhantes presentes no livro.

Cinco das sete declarações apresentadas no jogo foram proferidas, de fato, por Jair Bolsonaro: “O erro da ditadura foi torturar sem matar” (inclusive, reforçada posteriormente por ele); “Eu não te violarei porque você não merece”, “Eu seria incapaz de amar um filho homossexual”, “Essa história de Estado Laico não existe. O Estado é cristão” e “Eles [quilombolas] não fazem nada. Eles não servem nem para a reprodução!”.

Já as outras duas frases — “Se você deseja a simpatia das massas, você deve lhes dizer as coisas mais estúpidas e mais cruas” e “Que catástrofe quando uma mulher começa a refletir sobre os problemas da existência!” — são atribuídas a Adolf Hitler.

Referências:

1. Editora Flammarion
2. Terra
3. Estadão