Aos Fatos

Promotores em foto de ato pró-Dilma não são os mesmos que investigam Flávio Bolsonaro

Por Luiz Fernando Menezes

22 de janeiro de 2019, 13h05


Não é verdade que os promotores do Ministério Público do Rio de Janeiro responsáveis pelas investigações sobre as movimentações financeiras suspeitas do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) foram fotografados em uma manifestação contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). A foto que tem acompanhado os posts nas redes sociais com a informação falsa mostra promotores e procuradores de Minas Gerais em um ato público em favor da petista naquele estado.

As publicações que fazem a associação enganosa tem sido postadas no Facebook — uma delas chega a 32 mil compartilhamentos — e em outras redes sociais desde o último fim de semana. Todas elas foram marcadas por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (entenda como funciona).

Até mesmo Flávio Bolsonaro se valeu da informação falsa ao levantar suspeitas, em entrevista à RedeTV! no domingo (20), de que os procuradores responsáveis pelo seu caso teriam associação com o PT.

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

Quem lembra? Promotores do MPRJ se reúnem em defesa de Dilma contra o “golpe”. São os mesmos que acusam Flávio.

Desde que vieram à tona novas informações sobre as movimentações financeiras atípicas no gabinete do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), uma imagem de pessoas vestindo camisetas com a frase “Sou do MP e contra o golpe” passou a circular em posts nas redes sociais que apontam os manifestantes como os promotores responsáveis pela investigação das suspeitas que recaem sobre o filho do presidente Jair Bolsonaro.

A imagem, no entanto, não tem qualquer relação com integrantes do MP RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro), que é responsável pelo caso. A foto é de uma manifestação de juristas de Minas Gerais em março de 2016 contra o impeachment de Dilma Rousseff.

De acordo com um dos promotores do MP MG que aparecem nas fotos, Walter Freitas, entrevistado pelo Fato ou Fake, “as pessoas retratadas são promotores e procuradores do Estado de Minas Gerais, em manifestação desprovida de caráter partidário, e no exercício da liberdade de expressão dos mesmos, conforme inclusive já analisado pela Corregedoria Nacional do Ministério Público".

O MP-RJ também desmentiu a informação falsa em seu perfil oficial no Twitter: “As pessoas integrantes da foto não são membros do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro”.

É verdade que, na época do impeachment, circulou um abaixo-assinado de membros do Ministério Público contrários à saída da presidente. Entretanto, o único integrante do MP do Rio a assinar o documento foi Gustavo Campos de Oliveira, que é promotor de Justiça Cível de São Gonçalo e nada tem a ver com a investigação sobre Flávio Bolsonaro.

Ainda assim, a desinformação foi citada pelo senador eleito em entrevista à RedeTV!. Quando perguntado porque achava que estava recebendo um tratamento diferente do MP RJ, Flávio respondeu: “tá circulando um monte de foto na internet, não sei se é verdade, de supostos promotores com camisa ‘Sou do MP e sou contra o golpe’, numa clara demonstração de simpatia com o PT. Eu não sei se é verdade, mas se são evidências”. Esta não foi a única informação falsa dita por Flávio nas entrevistas do fim de semana, como publicou Aos Fatos nesta segunda-feira (21).

O Estadão Verifica também publicou checagem semelhante sobre a foto que circula nas redes sociais.


Esta checagem foi atualizada às 17h01 de 22 de janeiro para corrigir uma informação: a declaração sobre a localidade das fotos foi dita pelo promotor Walter Freitas, do MP MG, e não pelo Ministério Público.