Aos Fatos

Vídeo não mostra mãe e criança dentro de carro sendo atacadas por petistas

Por Alexandre Aragão e Bernardo Moura

13 de setembro de 2018, 19h05


Trechos de um vídeo de maio de 2017 do site G1, que mostram manifestantes com camisas e bandeiras de partidos e movimentos de esquerda atacando um carro em movimento, têm sido publicados nas redes sociais com uma história diferente da notícia verdadeira.

As imagens originais retratam o momento em que um carro é atacado por manifestantes ao furar o bloqueio de protesto contra o presidente Michel Temer (MDB) em Goiânia, e atropela ao menos duas pessoas. Mas, segundo as postagens (veja aqui e aqui) que viralizaram no Facebook nos últimos dias, a motorista era uma mãe com uma criança no carro que foi atacada “por apoiadores do PT de Haddad e Lula só por ter um adesivo de Jair Bolsonaro [presidenciável do PSL] colado ao carro” — o que não é verdade.

A versão completa do vídeo e a reportagem do G1 mostram que o carro era, de fato, conduzido por uma mulher, mas que não havia criança nem adesivo de Bolsonaro no veículo. Com as informações falsas, as postagens com trechos distintos do vídeo já têm, juntas, mais dois milhões de visualizações e 125 mil compartilhamentos desde que foram publicadas, nos dias 8 e 11 de setembro de 2018.

O conteúdo dos posts, publicados em perfis pessoais, foram marcados por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (entenda como funciona).

Confira, abaixo, o que checamos.


FALSO

Mãe com criança dentro do seu veículo é agredida por terroristas de Esquerda, apoiadores de Lula e Haddad, somente por ter um adesivo de Bolsonaro no seu carro.

O vídeo que acompanha a legenda acima foi publicado pelo site G1, em 18 de maio de 2017, e mostra o momento em que uma motorista tem seu carro atacado por manifestantes após tentar furar um bloqueio durante um protesto que pedia a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB), em Goiânia.

Após duas pessoas serem atropeladas, manifestantes cercaram o automóvel e o depredaram, conforme mostram as imagens originais. A motorista ainda tenta se desvencilhar, mas só consegue parar o carro com a chegada da polícia. De acordo com a reportagem do G1, a mulher estava acompanhada de um homem, e não de uma criança, como afirmam as postagens que viralizaram no Facebook. Ela também não se feriu, segundo informou à época a Polícia Militar.

Dos feridos, uma mulher foi atendida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levada para o Hospital de Urgências de Goiânia. O outro, que era marido da primeira vítima, sofreu ferimentos em um dos braços. Os dois prestaram queixa na delegacia local, segundo a reportagem do G1.

As imagens do vídeo mostram ainda que não há no carro que foi depredado qualquer vestígio de adesivo de Jair Bolsonaro. Também não há qualquer menção a isso na reportagem de onde o vídeo foi extraído.

As duas postagens, denunciadas ao Aos Fatos por usuários do Facebook, foram feitas em perfis pessoais, que, assim, terão suas identidades preservadas. Ambas, viralizaram rapidamente desde que foram publicadas.

A primeira delas, de 3 de setembro, conta hoje com mais de 1 milhão de visualizações e 50 mil compartilhamentos. A segunda, mais recente, é da última terça-feira e viralizou rapidamente: 1,4 milhão de visualizações e 75 mil compartilhamentos no Facebook.