Aos Fatos

Seja um apoiador

Checamos

Leia as últimas declarações checadas pela equipe do Aos Fatos

Mais

Explore todos os nossos conteúdos e checagens

Post infla dados de 2016 ao dizer que economia estava melhor que em 2019

Por Luiz Fernando Menezes

27 de novembro de 2019, 15h13


Publicação que circula nas redes sociais contrapõe uma série de dados econômicos de 2016 e de 2019 para argumentar que o cenário do passado era melhor que o atual (veja aqui). No entanto, os indicadores de 2016 apresentados são distorcidos. Por exemplo, ainda que a gasolina e o dólar estivessem mais baratos naquela época, os valores de ambos eram mais altos do que indica a peça de desinformação.

Os posts com as informações falsas já somavam ao menos 3.000 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quarta-feira (27). Todos foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Em 2016 estávamos em crise:
Dólar R$ 2,70
Gasolina R$ 2,85
Desemprego 6%
PIB 3,0%

Todos os indicadores apresentados estão incorretos. Como a publicação não cita um mês de referência para fazer a comparação, Aos Fatos pesquisou os dados de novembro de 2016 e também procurou os menores e maiores valores indicados daquele ano.

Dólar. Para fazer comparação entre cotações do dólar em diferentes momentos, é preciso considerar as inflações do período tanto no Brasil como nos EUA, conforme Aos Fatos explicou na HQ publicada na última sexta-feira (22). Sendo assim, com base na série histórica do Banco Central, a menor cotação real (já com os valores ajustados) registrada em 2016 foi em outubro: R$ 3,18 (R$ 3,12 em valor nominal na época), não R$ 2,70, como afirma a peça de desinformação. Já a maior cotação foi em janeiro: R$ 4,25 (R$ 4,16 em valor nominal).

Gasolina. Segundo a série histórica da ANP (Agência Nacional de Petróleo), o menor preço médio da gasolina registrado em 2016 foi na semana de 3 a 9 de julho, quando ela era vendida nos postos a R$ 3,635 (R$ 4,12 em valor corrigido pela inflação). Já o maior valor foi registrado na semana do dia 18 a 24 de dezembro, quando a média foi de R$ 3,759 (R$ 4,23 em valor ajustado). Diferentemente do que afirma a publicação, não foi registrado o valor de R$ 2,85 para a gasolina.

Desemprego. O desemprego em 2016 cresceu do primeiro trimestre até o último. Naquele ano, a taxa de desocupação dos brasileiros começou em 10,9% e chegou a 12%. Os dados são da PNAD Contínua do IBGE. Em nenhum momento, portanto, foi registrada uma taxa de 6%.

PIB. Em 2016, o Brasil passava pela pior recessão da história, tendo registrado retração da atividade econômica do primeiro trimestre de 2015 até o primeiro trimestre de 2017, conforme pode ser verificado na série histórica do IBGE. Em 2016, o PIB recuou 3,3% em relação ao resultado de 2015, de acordo com o IBGE. Já a peça de desinformação sugere que houve um aumento de 3% da atividade econômica.


VERDADEIRO

Em 2019, tá tudo maravilhoso:
Dólar R$ 4,20
Gasolina R$ 4,45
Desemprego 12%
PIB menos de 1%.

Enquanto os dados de 2016 são distorcidos para sugerir um cenário econômico melhor naquele ano, os indicadores de 2019 apresentados estão corretos. O dólar de fato passou dos R$ 4,20 em novembro; a gasolina atualmente está com preço médio de R$ 4,413; na última PNAD Contínua mensal divulgada em setembro, a taxa de desocupação estava em 11,8%; e o PIB cresceu 0,7% até o segundo trimestre, último resultado disponível.

A Agência Lupa também verificou esta peça de desinformação.

Referências:

1. Aos Fatos
2. Banco Central
3. ANP (Fontes 1 e 2 )
4. IBGE (Fontes 1, 2 e 3)
5. UOL