Aos Fatos

PF não interceptou remessa de dólares de Cuba ao PT em caixas de medicamento

Por Bernardo Moura

30 de novembro de 2018, 17h16


Um vídeo que mostra caixas com o logotipo da Cruz Vermelha Internacional recheadas de maços de US$ 100 tem sido compartilhado nas redes sociais nos últimos dias como se retratasse uma operação da Polícia Federal que prendeu mais de 20 petistas no Porto de Santos prestes a receber os recursos de Cuba em “baús de medicamentos” — o que é falso. Na verdade, as imagens não são recentes, nem foram feitas no porto paulista, e têm a ver com investigação da ONU de dinheiro enviado à Gana pelo regime de Muamar Kadafi (1942-2011), ex-ditador da Líbia, sob disfarce de ajuda humanitária.

As mesmas caixas que aparecem no vídeo também constam em fotos de um relatório encaminhado por especialistas ao Conselho de Segurança da ONU em 2017, que trata, entre outros assuntos, de milhões de dólares em espécie que desapareceram da Líbia após a queda de Kadafi, em 2011. Placas afixadas na tampa das caixas trazem inscrições em árabe e a data 15/07/2011, o que também demonstra não haver vínculos com PT e Cuba.

Ainda assim, essa não foi a primeira vez que as imagens estiveram relacionadas a ambos. No início deste ano, o vídeo circulou nas redes como se fosse uma apreensão da Interpol de uma remessa do partido de Lula à ilha caribenha.

Agora, a publicação que traz as informações inverídicas surgiu nesta quarta-feira (28) no Facebook e já somava mais de 1.800 compartilhamentos até a tarde desta sexta (30). O post da página Dinho da Bahia foi denunciado por usuários da rede social e marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que verificamos.


FALSO

Polícia federal.Porto de Santos. 60 baús de medicamentos cheios de bilhões de dolares. Nosso dinheiro do mais médicos que vai para Cuba e agora volta para financiar guerrilha armada do PT. Mais de vinte petistas preso em flagrante. Repassem. Repassem para o Brasil Inteiro saber o que eles fizeram com o nosso Brasil, e o destino da maldade que seria usado esse dinheiro! Disfarçados de etiquetas de medicamentos. Cheios de Dólares para espanto dos policiais.

Além de não ter sido registrada qualquer operação da Polícia Federal no Porto de Santos nos últimos dias, o vídeo que acompanha a publicação enganosa também não tem nada a ver com a remessa de “bilhões de dólares” de Cuba para o PT com o intuito de “financiar guerrilha armada”. Na realidade, os dólares acondicionados em caixas com o logotipo da Cruz Vermelha Internacional teriam sido enviados pela ditadura de Muamar Kadafi na Líbia à Acra, capital de Gana, pouco antes da queda do regime líbio, em 2011. Elas chegaram ao país africano disfarçadas de ajuda humanitária endereçada ao Comitê Internacional de Proteção aos Direitos Humanos, de acordo com relatório encaminhado ao Conselho de Segurança da ONU em 2017.

O documento traz fotos de caixas idênticas às que aparecem no vídeo. Compare abaixo (à esquerda, o vídeo; à direita, a foto do relatório):

O documento das Nações Unidas analisa a situação da Líbia após o fim da ditadura de Kadafi e relata, entre outros aspectos, o sumiço de milhões de dólares em dinheiro vivo, que teriam sido enviados pelo ex-líder a outros países da região, como a África do Sul e Burkina Faso, além de Gana.

Neste último, o relatório aponta que, de acordo com fontes não identificadas, os recursos eram mantidos no escritório do Comitê Internacional de Proteção aos Direitos Humanos em Acra até pelo menos fevereiro de 2016. Os investigadores relatam ainda que entraram em contato com a sede do Comitê, na França, e com as autoridades de Gana, mas não obtiveram esclarecimentos acerca da origem dos recursos.

Na página 293, o relatório afirma ainda que o líbio encarregado de manter os recursos em Acra seria Mohamed Saleh al-Mahmoudi, e que fontes anônimas contaram que agentes do Exército Nacional da Líbia tentaram recuperar o dinheiro posteriormente. Mas, apesar das tentativas, o montante teria sido remetido em 2016 a outro país e não foi mais localizado.

Povo socialista. Outro indício claro de que as imagens não retratam uma operação da PF brasileira ou que os recursos seriam oriundos de cubanos para o PT é que as caixas mostradas têm inscrições em árabe que podem ser traduzidas como “o grande povo socialista árabe líbio Jamahiriya-Tripoli”, como observou checagem do site sírio Verify-SY, que analisou uma notícia falsa em que os dólares do vídeo eram atribuídos ao governo da Síria.

Em janeiro deste ano, a seção brasileira da Cruz Vermelha Internacional publicou uma nota em seu site para desmentir que, apesar do logotipo, as caixas que aparecem no vídeo não têm qualquer ligação com a entidade. Segundo a organização, as imagens tem circulado na internet esporadicamente nos últimos dois anos. A Cruz Vermelha afirma ainda estar preocupada “com o impacto que o abuso flagrante do emblema possa causar na segurança dos nossos funcionários e atividades nos países onde operamos”.

O vídeo das caixas de dinheiro circulou no início deste ano no WhatsApp dizendo se tratar de uma operação da Interpol que interceptou uma remessa bilionária de petistas para Cuba. Segundo a publicação, que chegou a ser desmentida pela revista Veja, o caso seria “uma bomba” que faria “a casa do PT cair de vez”.