Aos Fatos

Pesquisa Datafolha que aponta liderança de Haddad nunca foi feita

Por Tai Nalon

5 de setembro de 2018, 16h30


Circula nesta quarta-feira (5) em redes sociais como o WhatsApp um arquivo em formato pdf com uma pesquisa Datafolha falsificada. O arquivo, cujo nome é "data folha setembro-1.pdf", traz três páginas de um levantamento do instituto que nunca foi feito.

O documento falsificado registra o candidato à Vice-Presidência na chapa do PT, Fernando Haddad, na liderança, com 20%nas intenções de voto em um dos cenários de uma pesquisa estimulada. O mesmo pdf indica que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve sua candidatura impedida na madrugada do último sábado (1) pelo Tribunal Superior Eleitoral, teria 49% das intenções de voto em outro cenário. Nada disso é real.

Questionado por e-mail a respeito da veracidade do levantamento, o diretor do Datafolha, Mauro Paulino, informou ao Aos Fatos que se trata de uma falsificação. "O material é fake. Essa pesquisa não foi realizada", disse.

Veja, abaixo, o que Aos Fatos verificou.


FALSO

Desejo de votar em Lula chega a 49%; no cenário sem o petista, Haddad lidera, Bolsonaro mantém segunda posição e cai o índice de Alckmin

É FALSO que Lula tem 49% em pesquisa Datafolha realizada nos dias 1 e 2 de setembro de 2018. Também é FALSO que Haddad lidera no cenário sem Lula. O motivo é simples: a pesquisa nunca foi feita. O próprio diretor do Datafolha nega que haja qualquer pesquisa realizada nesse período.

O boato corre as redes em meio à confusão gerada pelo cancelamento de registro de uma pesquisa Datafolha cuja investigação de campo teria se iniciado apenas em 4 de setembro e só terminaria em 6 de setembro. A pesquisa falsificada em questão, porém, afirma que o levantamento foi feito em 1 e 2 de setembro — o que nunca aconteceu.

"Registrado como candidato do PT na disputa pela Presidência da República, o ex-presidente Lula tem 49% das intenções de voto estimulada e detém a liderança isolada na primeira pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha após o início oficial do período eleitoral. Ele tem larga vantagem sobre Jair Bolsonaro (PSL), que tem 18% e é seu adversário mais próximo neste momento. Preso há mais de quatro meses, o petista teve a sua candidatura avaliada pela Justiça Eleitoral e está impedido de concorrer ao seu terceiro mandato presidencial. Sem Lula, Haddad toma a liderança da corrida presidencial, com percentual inferior ao de votos em brancos ou nulos, e é seguido de perto por Jair Bolsonaro (PSL)", diz um trecho do relatório falsificado. Esse texto, contudo, é uma cópia do relatório do último levantamento do Datafolha. Nessa versão adulterada, as percentagens relativas a cada candidato foram alteradas.

Também no dia 4 de setembro, o instituto cancelou junto ao Tribunal Superior Eleitoral o registro da pesquisa. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, que pertence ao mesmo grupo do instituto de pesquisa, o registro original da sondagem de votos para presidente da República, de código BR-02553/2018, foi feito na última sexta-feira, antes do término da votação do TSE que vetou a candidatura de Lula.

"Como o questionário contemplava cenário com o nome do candidato impedido, o instituto decidiu não aplicá-lo. O Datafolha registrou nova pesquisa, que será realizada e divulgada na segunda (10)", diz o jornal.

O novo registro já foi feito junto ao TSE. De número BR-02376/2018, a pesquisa é contratada pela TV Globo e deverá sondar 2.820 entrevistados. Aqui é possível ver o registro.

A controvérsia também foi alimentada pelo cancelamento da divulgação de outra pesquisa, esta do Ibope, que seria publicada na última terça-feira (4) pelas empresas do Grupo Globo. Imagens forjadas do resultado desse levantamento também circulam nas redes sociais nesta quarta-feira, e Aos Fatos já demonstrou que se trata de conteúdo falso.

Colaborou Alexandre Aragão