Aos Fatos

Jefferson Rudy/Agência Senado

Não, o Exército não está fiscalizando o Senado; notícia é falsa

Por Bernardo Moura

16 de maio de 2018, 19h30


É falsa a notícia de que “sem qualquer aviso prévio, Exército começa a fiscalizar senadores em Brasília”. As postagens foram publicadas pelo site Notícias Brasil Online e pelo Jornal da Cidade Online (neste, com o título “Militares passam a exercer fiscalização direta no Congresso Nacional”) e foram marcadas por usuários do Facebook como conteúdos potencialmente enganosos (veja como funciona). Confira o que checamos:


FALSO

Sem qualquer aviso prévio, Exército começa a fiscalizar senadores em Brasília.

O texto já começa fazendo alarde: “uma cena incomum aconteceu nesta terça-feira (15) no plenário do Congresso Nacional. Inúmeros militares, sem qualquer aviso prévio, foram assistir a sessão do Senado”. Junto à postagem, um vídeo mostra militares fardados acomodados em uma das galerias da Casa durante a 70ª Sessão Plenária, realizada ontem. Aos Fatos consultou a assessoria do Senado Federal para checar a veracidade do conteúdo, que foi publicado pelos sites Notícias Brasil Online e Jornal da Cidade Online.

De acordo com o Senado, os fardados mostrados nas imagens são estagiários do Curso Superior de Defesa — que é formado por militares dos cursos de altos estudos da Escola Superior de Guerra, da Escola de Guerra Naval e da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército. O curso tem 200 integrantes, que são civis e militares das Forças Armadas, Forças Auxiliares e Nações Amigas. Ou seja, o objetivo da visita não era “fiscalizar senadores” ou “exercer fiscalização direta no Congresso Nacional”, como afirmam as postagens analisadas, mas parte do cronograma de um curso.

A visita também foi previamente agendada, de acordo com o Senado, o que invalida a informação contida no título de uma das postagens checadas por Aos Fatos, que dizia ter sido sem aviso prévio a passagem dos militares pela galeria da Casa.

“Na ocasião, os militares foram saudados pelo presidente da sessão plenária, senador João Alberto (PMDB-MA)”, ressalta a nota enviada pelo Senado nesta quarta-feira (16).