Aos Fatos

Seja um apoiador

Checamos

Leia as últimas declarações checadas pela equipe do Aos Fatos

Mais

Explore todos os nossos conteúdos e checagens

Não é verdade que vídeo mostre integrante da CUT pedindo prisão de Lula

Por Luiz Fernando Menezes

20 de novembro de 2019, 15h45


Não é verdade que um vídeo que circula nas redes sociais mostre um integrante da CUT (Central Única dos Trabalhadores) chamando o ex-presidente Lula (PT) de ladrão e pedindo a sua prisão. Além de não ser atual, mas gravado em 2017, o vídeo (veja aqui) registra um discurso de um membro do então chamado MNN (Movimento Negação da Negação) em um ato na Avenida Paulista que reuniu movimentos sociais e sindicais. O MNN, que hoje se chama Transição Socialista, não faz parte da CUT nem tem filiação partidária, conforme afirmou o autor do discurso ao Aos Fatos.

O vídeo, que já circula nas redes desde meados de 2017, voltou a ser compartilhado após a soltura de Lula, no dia 8 de novembro, por publicações que afirmam que a CUT é contra a liberdade do presidente.

Até a tarde desta terça-feira (19), postagens com o conteúdo enganoso já acumulavam mais de 70 mil compartilhamentos no Facebook. As publicações com a desinformação foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona). O conteúdo também foi enviado por leitores do Aos Fatos no WhatsApp como sugestão de checagem (inscreva-se aqui).


FALSO

CUT pedindo a cabeça do Lula ... chamando ele de LADRÃO.

Um vídeo no qual um homem em um carro de som afirma que o ex-presidente Lula é um “traidor de peão” e que deve ser preso tem sido compartilhado nas redes sociais em publicações que afirmam que o autor do discurso seria da CUT e que este seria posicionamento da central sobre o petista. No entanto, além de antigo, o vídeo registra a fala de um membro do MNN (Movimento Negação da Negação, hoje chamado Transição Socialista), que não tem relação com a CUT.

Como é possível observar na publicação original do vídeo na conta do movimento no Facebook, ele foi gravado no dia 28 de abril de 2017, mas voltou a circular depois que Lula foi solto como se mostrasse uma manifestação recente da central sindical. Em e-mail enviado ao Aos Fatos, Rafael Padial, autor do discurso, negou que o grupo tenha associação com a CUT. O MNN apenas participava de um ato onde havia bandeiras da central.

O evento, ocorrido na Avenida Paulista (São Paulo) durante a greve geral daquele dia, reuniu diversos movimentos, como o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), o Conlutas e grupos ligados a professores municipais de São Paulo em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência do governo de Michel Temer (MDB).

Além de Lula, o integrante do MNN citou o então presidente Temer e o então senador e hoje deputado federal Aécio Neves (PSDB) para afirmar que “não possui bandido burguês de estimação”.

A peça de desinformação que associa o discurso registrado no vídeo à CUT já apareceu outras vezes nas redes. Em 2017, ela foi desmentida pelo Boatos.org. Mais tarde, no começo de 2019, voltou a ser compartilhada no Facebook e foi checada pela AFP.

Referências:

1. G1
2. Transição Socialista.org