Aos Fatos

Seja um apoiador

Checamos

Leia as últimas declarações checadas pela equipe do Aos Fatos

Mais

Explore todos os nossos conteúdos e checagens

Não é verdade que empresa francesa de luvas é responsável por óleo no Nordeste

Por Amanda Ribeiro

24 de outubro de 2019, 19h32


Publicações que circulam nas redes sociais afirmam que a multinacional francesa Mapa pode ser a responsável pelas manchas de petróleo que atingem as praias do Nordeste. Elas são acompanhadas por um vídeo que mostra embalagens da empresa cheias de óleo que teriam sido encontradas na região (veja aqui). O Grupo de Acompanhamento e Avaliação, formado por Marinha, Ibama e a ANP (Agência Nacional do Petróleo), no entanto, afirma que material que aparece nas imagens era uma embalagem de luvas de proteção que foi reutilizada para colocar os resíduos de óleo coletados.

Publicadas por páginas e perfis pessoais, as postagens somavam cerca de 13 mil compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quinta-feira (24). Todas elas foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (entenda como funciona).


FALSO

Embalagens de óleo da multinacional francesa Mapa são encontradas nas praias de Pernambuco..

Um vídeo difundido nas redes sociais mostra embalagens da multinacional francesa Mapa Professionnel produzidas na Malásia que estariam cheias de óleo em uma praia do Nordeste. Segundo as publicações que circulam nas redes, a empresa poderia ser a responsável pelo derramamento de petróleo que atinge as praias da região, o que daria força à tese de ecoterrorismo. No entanto, em nota publicada no dia 21 de outubro, o GAA (Grupo de Acompanhamento e Avaliação), formado por Marinha, Ibama e ANP (Agência Nacional do Petróleo), diz que as embalagens com óleo não são objeto de investigação.

Segundo o grupo, o que aparece nas imagens é “um material utilizado pelos voluntários para armazenamento do óleo encontrado na areia, não levantando, portanto, suspeita com relação à origem do óleo”. Originalmente, diz a nota, as embalagens eram de luvas produzidas pela empresa. A Mapa é especializada em materiais de proteção e, diferentemente do que afirma a peça de desinformação, seus produtos são também distribuídos no Brasil.

O vídeo compartilhado pelas publicações parece ter sido gravado da tela de uma televisão. e mostra um trecho do programa Por Dentro com Cardinot (a partir de 22’30’’), que foi ao ar na última segunda-feira (21), na TV Jornal, afiliada do SBT no Recife. Nele, o apresentador Joslei Cardinot Meira menciona o aparecimento de “dois sacos fechados que podem ser do óleo que se espalhou pelo Nordeste”.

Ainda no vídeo (por volta de 1h30), Cardinot afirma que a Mapa enviou uma nota de esclarecimento dizendo que iniciou uma investigação interna e que o produto contido nas embalagens não é fabricado no Brasil. O apresentador não especifica, no entanto, que a empresa é produtora de luvas, e não de petróleo.

Aos Fatos entrou em contato com a TV Jornal para que pudesse comentar a checagem da informação que circula nas redes, mas, até a publicação deste texto, não houve retorno.

Essa é a terceira peça de desinformação checada por Aos Fatos sobre o derramamento de óleo que atinge as praias do Nordeste. Anteriormente, foram desmentidas as informações de que um vídeo mostrava um navio atirando petróleo ao mar e que a origem do petróleo seria uma plataforma venezuelana que havia naufragado.

Desastre ambiental. Desde o início de setembro, ao menos 225 localidades do Nordeste foram afetadas por manchas de petróleo que ainda têm origem desconhecida. Voluntários e equipes enviadas pelo governo federal já recolheram cerca de mil toneladas de óleo ao longo de cerca de 2.250 km de costa.

Referências:

1. Mapa Professionnel (Fontes 1 e 2)
2. Aos Fatos (Fontes 1 e 2)
3. G1