Aos Fatos

Não é verdade que agressor de Bolsonaro é filiado ao PDT

6 de setembro de 2018, 19h56


É FALSA a informação que está sendo veiculada por sites como FolhaMax e Luis Cardoso, além de redes como o WhatsApp, sobre o ataque a faca que o postulante ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro (PSL), ter sido feito por um filiado ao PDT. Adelio Bispo de Oliveira, que admitiu a agressão à polícia na tarde desta quinta-feira (6), nunca foi filiado à sigla, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral.

Aos Fatos está checando as informações acerca do ataque ao candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira. Informações equivocadas sobre esse tema foram marcadas como FALSAS na ferramenta de verificação do Facebook. Leia toda a cobertura aqui.

Abaixo, o que verificamos.


FALSO

O suspeito [de ter atacado Bolsonaro] seria José Adélio Bispo de Oliveira, filiado ao PDT mineiro

É FALSO que o agressor era filiado ao PDT. A afirmação faz uma confusão com os nomes de um filiado ao PDT e o autor do ataque. Quem atacou Bolsonaro e já está preso tem o nome “Adelio Bispo de Oliveira”. Já “José Adelio Bispo de Oliveira” é outra pessoa, também de Minas Gerais, e filiado ao PDT desde 1992. Ou seja, trata-se de uma confusão apenas porque o nome de ambos é muito parecido.

Como explicado por Aos Fatos em outra reportagem, o único “Adélio Bispo de Oliveira” que consta das filiações do TSE é o que foi filiado ao PSOL de 2007 a 2014.