Aos Fatos

Seja um apoiador

Checamos

Leia as últimas declarações checadas pela equipe do Aos Fatos

Mais

Explore todos os nossos conteúdos e checagens

Não é Gleisi mulher agredida em vídeo gravado em micareta de Fortaleza

Por Luiz Fernando Menezes

14 de janeiro de 2020, 17h53


É falso que a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) foi agredida durante uma micareta em Fortaleza, no Ceará. O vídeo que mostra pessoas atirando objetos em uma mulher dentro de um camarote foi gravado no dia 27 de julho de 2019, data em que a petista estava em Curitiba. Além disso, a mulher que aparece nas imagens não se parece com Gleisi.

A peça de desinformação (veja aqui), que circulou nas redes em julho do ano passado, voltou a circular com a proximidade do Carnaval. O vídeo foi enviado por leitores do Aos Fatos por WhatsApp (acesse aqui) como sugestão de checagem. Devido à natureza do aplicativo, não é possível medir com precisão o alcance da peça de desinformação. No Facebook, posts com o conteúdo enganoso publicados neste ano já acumulavam mais de 500 compartilhamentos até esta terça-feira (14). Todos eles foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (saiba como funciona).


FALSO

Gleisi Hoffmann no carnaval fora de época em Fortaleza!

A deputada Gleisi Hoffmann (PT-RS) não foi atacada em um carnaval fora de época ocorrido em Fortaleza (CE), diferente do que afirma peça de desinformação que voltou a circular nas redes sociais. O vídeo em questão foi gravado durante o Fortal 2019, na capital cearense, no dia 27 de julho. Nesse dia, Gleisi estava em Curitiba para um evento do site Brasil247, conforme é possível verificar em seu perfil no Instagram.

No vídeo, pessoas jogam latas e outros objetos em um camarote onde está uma mulher vestida de preto. A briga aconteceu na última edição do evento, micareta anual da cidade de Fortaleza, que ocorreu dos dias 25 a 28 de julho. Segundo o jornal O Povo, a agressão ocorreu no dia 27, após um grupo entoar gritos contra o presidente Jair Bolsonaro.

O local apresentado no vídeo é idêntico ao das imagens do evento (veja abaixo). Além disso, em algumas versões da peça de desinformação, é possível ouvir pessoas gritando “Ei, Bolsonaro, vai tomar no cu”.

A mulher que é agredida no vídeo também não se parece com Gleisi. Mesmo com a baixa qualidade das imagens, é possível perceber que ela tem o cabelo escuro e seu nariz não tem o formato parecido com o da petista (veja comparação abaixo, feita com uma foto de Gleisi de julho de 2019).

A mesma peça de desinformação circulou também em julho do ano passado e foi desmentida pela Agência Lupa, pelo Fato ou Fake e pelo Boatos.org.

Referências:

1. Fortal.com.br
2. O Povo (Fontes 1 e 2)