Aos Fatos

Imagens que mostram capa e conteúdo do chamado 'kit gay' são falsas

31 de agosto de 2018, 19h57


São falsas imagens que circulam nas redes sociais atribuídas ao material do programa Escola Sem Homofobia, o chamado “kit gay”. Publicação de julho de 2015 do blog Rafresco voltou a ser compartilhado após o tema ser abordado em entrevista de Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL, ao Jornal Nacional na última terça-feira (28). (veja o que Aos Fatos checou sobre o kit nesta ocasião). O conteúdo foi denunciado por usuários do Facebook como potencialmente enganoso (saiba mais).


FALSO

Saiba mais sobre o KIT GAY: você quer isto para seus filhos? [FOTOS/VÍDEOS]

A publicação do blog Rafresco traz uma série de imagens que não condizem com o material produzido em 2011 com o intuito de combater a homofobia nas escolas dentro do programa Escola Sem Homofobia, que pode ser acessado aqui. O conteúdo ficou popularmente conhecido como “kit gay” após reação de parlamentares no Congresso Nacional.

O material foi elaborado por ONGs durante a gestão de Fernando Haddad (PT) no Ministério da Educação no primeiro governo Dilma Rousseff (2011-2014), mas nunca chegou a ser distribuído nas escolas.

O kit era composto de um caderno para os gestores, seis boletins para os estudantes, três vídeos e um cartaz que abordavam aspectos de homossexualidade, transexualidade e bissexualidade entre jovens. Nenhum deles guarda similaridade com as imagens publicadas no blog Rafresco.

O projeto foi suspenso por pressão de parlamentares contrários à medida. O material ainda seria avaliado pelo Ministério da Educação, mas já estava pronto para impressão.

A Agência Lupa também classificou este conteúdo como FALSO.