Aos Fatos

Homem que aparece em foto ao lado de Bolsonaro e Queiroz não é militar preso na Espanha

Por Luiz Fernando Menezes

2 de julho de 2019, 13h03


É falsa a informação de que o homem sentado à mesa com o presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz seja o militar Manoel Silva Rodrigues, preso por suspeita de tráfico de drogas na Espanha no dia 25 de junho (veja aqui). Ele é, na verdade, o assessor especial da Presidência Max Guilherme Machado de Moura, segundo a Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

A informação falsa vem sendo disseminada em posts no Facebook, no Twitter e no Instagram. Na primeira rede social, uma das publicações já acumula 6.000 compartilhamentos até a tarde desta terça-feira (2). Todas as postagens com este conteúdo foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (veja como funciona).


FALSO

Olha quem está ao lado do Queiroz nesse almoço: o sargento dos 39 kg.

Não é o segundo-sargento Manoel Silva Rodrigues, preso por suspeita de tráfico de drogas, quem aparece em foto ao lado de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio que virou alvo de investigação por movimentações financeiras suspeitas. O homem sentado ao lado de Queiroz era o segurança do então deputado Jair Bolsonaro e, atualmente, assessor especial do gabinete do presidente.

A informação, enviada a Aos Fatos pela assessoria de Flávio Bolsonaro, foi confirmada pela Secretaria Especial de Comunicação da Presidência, que afirmou que se trata do policial militar Max Guilherme Machado de Moura. Também segurança de Bolsonaro durante a campanha eleitoral, ele hoje é assessor especial do gabinete do presidente.

É possível verificar, na comparação abaixo, as diferenças entre Moura (à esquerda) e o segundo-sargento: o assessor possui rosto mais quadrado, nariz mais fino e olhos mais fundos do que o do militar preso.

O caso do segundo-sargento suscitou uma série de desinformações que já foram checadas por Aos Fatos. Foi verificado que o militar não é filiado ao PT nem ao PSL, assim como não é ele quem aparece em fotografias com Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro.

Referências:

1. Planalto
2. Aos Fatos (Fontes 1, 2, 3, 4 e 5)