Aos Fatos

Seja um apoiador

Checamos

Leia as últimas declarações checadas pela equipe do Aos Fatos

Mais

Explore todos os nossos conteúdos e checagens

Foto que circula nas redes não mostra casamento forçado de meninas no Irã

Por Bruno Fávero

8 de janeiro de 2020, 16h13


É falso que uma fotografia em que meninas aparecem de mãos dadas com homens adultos seja de um casamento infantil forçado no Irã. A imagem, que tem circulado no Facebook (veja aqui) e no WhatsApp, mostra, na verdade, crianças palestinas participando como damas de honra de um casamento coletivo em 2009 em Jabalia, na Faixa de Gaza.

Desde aquele ano, a mesma foto tem sido usada por sites de diversos países para acusar grupos muçulmanos de promover casamentos infantis.

É verdade, porém, que menores de idade podem se casar no Irã. A idade mínima legal para casamentos no país é de 13 anos para meninas e 15 para meninos, mas crianças ainda mais novas podem se casar se houver autorização dos pais e de um juiz.

As publicações com a desinformação acumulavam ao menos 1.500 compartilhamentos no Facebook até a tarde desta quarta-feira (8). Todas as postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da plataforma (entenda como funciona). A desinformação também circulou no WhatsApp, onde foi enviada por leitores como sugestão de checagem (acesse aqui). Devido à natureza do aplicativo, não é possível medir com precisão o alcance do conteúdo.

Veja abaixo o que checamos:


FALSO

Postagens que circulam nas redes sociais usam imagens de damas de honra em festa na Palestina como se fossem fotos de um casamento de meninas "com menos de 10 anos" no Irã.

As fotografias usadas por essas publicações são de 2009 e mostram, na verdade, um casamento coletivo organizado pelo grupo palestino Hamas na cidade de Jabalia, na Faixa de Gaza. A cerimônia foi noticiada na época por veículos como a agência France-Presse e Al Jazeera e também aparece em agências de fotografia como a Alamy.

Dias depois do evento, essas imagens já começaram a ser usadas por sites de desinformação em inglês para acusar grupos islâmicos de promover casamentos infantis em massa. Na época, o jornalista britânico Tim Marshall, da Sky News, que estava na cerimônia em Jabalia, escreveu um texto em seu blog criticando o uso enganoso das imagens. O site de checagem Snopes também desmentiu as alegações.

Casamento infantil. É verdade, entretanto, que o casamento de menores de idade é permitido no Irã. A idade mínima legal para se casar no país é de 13 anos para meninas e 15 para meninos, e crianças mais novas do que isso podem se casar se houver autorização dos pais e de um juiz, segundo documento da Universidade de Essex, no Reino Unido.

A Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) estima que, em 2010, 3% das meninas do Irã se casam até os 15 anos e 17% até os 18. Em 2017, uma reportagem da Deutsche Welle também retratou os danos causados pelo casamento infantil na vida de mulheres do país.

Esse não é, contudo, um problema exclusivo do Irã. No Brasil, também segundo a Unicef, 6% das meninas casam até os 15 anos e 26% até os 18. No mundo, a média é 5% e 21%, respectivamente.

Referências:
1. Google
2. Universidade de Essex
3. Unicef
4. Aos Fatos
5. AFP
6. Youtube
7. Alamy
8. Sky
9. Snopes
10. DW