Aos Fatos

Foto de engarrafamento na China viraliza como se fosse protesto na Alemanha

Por Bernardo Moura

2 de maio de 2019, 16h50


Uma foto tirada durante um engarrafamento em Shenzhen, na China, em setembro de 2012, tem sido difundida nas redes sociais como se retratasse um protesto na Alemanha contra a alta dos preços de combustíveis. A falsa atribuição está em um post publicado por um perfil pessoal no Facebook em novembro de 2017, e que voltou ganhar força na rede nos últimos dias. Nesta quinta-feira (2), a peça de desinformação já reunia mais de 1,3 milhão de compartilhamentos.

Denunciado por usuários do Facebook, o conteúdo enganoso foi marcado por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

Na Alemanha o governo subiu preço de combustível. Em apenas uma hora de tempo as pessoas abandonaram seus carros nas ruas e avenidas e foram a pé para casa. Mais de um milhão de carros abandonados. Tiveram que baixar o preço. Quando o povo é inteligente, os corruptos não conseguem concretizar seus objetivos.

Não é verdade que a foto que acompanha a legenda acima mostra uma manifestação na Alemanha contra aumento nos preços do combustível. O registro foi feito em 30 de setembro de 2012 por um fotógrafo da agência Rex e exibe um longo engarrafamento formado em Shenzhen, cidade da província de Guangdong, no sul da China, em razão de um feriado nacional. Veja abaixo a mesma imagem reproduzida no site da agência.

A foto completa exibe ainda placas de trânsito em mandarim, o que também desmonta a hipótese de o registro ter sido feito na Alemanha.

Tampouco é verdade que alemães tenham protestado recentemente contra preços mais altos nos combustíveis. De acordo com a AFP Check, que também checou como falsa a publicação com a foto, a última manifestação com esse mote na Alemanha foi realizada há 18 anos, quando sete mil veículos, entre caminhões, tratores e táxis, bloquearam as vias de acesso a Berlim para forçar a suspensão de uma taxa sobre combustíveis.

No ano passado, esta desinformação também circulou em inglês, como verificou o site de checagem norte-americano Snopes.