Aos Fatos

Foto aérea mostra protesto 'Fora Dilma' em 2016, e não ato pró-Bolsonaro

Por Bernardo Moura

22 de outubro de 2018, 18h14


A foto aérea da Avenida Paulista tomada por manifestantes em tons verde-amarelo foi tirada em 13 de março de 2016 durante protesto pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e não neste domingo (21) em um ato a favor de Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL, como afirmam publicações feitas no Facebook ontem.

Denunciadas por usuários da rede social, os posts que tiram a foto de contexto com informações enganosas foram marcados por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (entenda como funciona). Um deles já beira os 60 mil compartilhamentos.

Veja abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

AVENIDA PAULISTA FECHADA DE PONTA À PONTA !!! MILHARES CONTRA O PT E À FAVOR DE BOLSONARO

Não é verdade que a Avenida Paulista foi totalmente ocupada por manifestantes em favor de Jair Bolsonaro neste domingo (21). Publicações feitas no Facebook desde ontem têm utilizado uma foto aérea de um protesto pela saída de Dilma Rousseff (PT), em 13 de março de 2016, para sustentar essas informações falsas.

Um dos posts chega a afirmar ainda, de maneira enganosa, que a Polícia Militar de São Paulo teria estimado em três milhões o número de participantes do ato pró-Bolsonaro. Entretanto, não foram divulgadas estimativas de público na Avenida Paulista ontem. Em 13 de março de 2016, data em que a foto original foi feita, a manifestação “Fora Dilma” recebeu 3,6 milhões de pessoas, segundo a PM paulista.

A foto que circula no Facebook também sofreu alterações numa tentativa de dar verossimilhança ao conteúdo falso. O pato inflável gigante que ficava posicionado em frente à sede da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), e que aparecia no lado inferior da imagem, foi cortado. Compare abaixo a foto original, à esquerda, e a que foi usada nas redes sociais, à direita.

Aos Fatos não conseguiu identificar a autoria da imagem, mas verificou que ela apareceu pela primeira vez na internet em uma publicação do site Sensacionalista em 13 de março de 2016. A fotografia é muito semelhante a uma outra, tirada na ocasião pelo repórter fotográfico Daniel Teixeira, a serviço do Estadão (veja aqui).

As publicações que tiram a foto de contexto e trazem informações falsas foram feitas em perfis pessoais. Uma delas já têm quase 60 mil compartilhamentos no Facebook.

Nesta campanha eleitoral, Aos Fatos já checou situações parecidas: no último dia 30, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal e filho do presidenciável, divulgou que a PM paulista havia estimado em meio milhão o público presente em um outro ato de apoio ao pai na Avenida Paulista, mas a instituição não realizou qualquer estimativa.

Em 24 de setembro, vídeo de uma romaria de motos no Ceará foi divulgado nas redes como sendo de um ato a favor do candidato presidencial do PSL. Antes disso, em 17 de setembro, vídeos de um ato pelo impeachment de Dilma em Brasília e de uma exibição pública de um jogo da Copa de 2018 em Campinas também foram veiculados como se fossem manifestações por Jair Bolsonaro.