Aos Fatos

É falso que vídeo mostre venezuelanos atacando soldados brasileiros

Por Amanda Ribeiro

30 de agosto de 2019, 14h49


Não é verdade que um vídeo em que dois jovens agridem um soldado foi registrado no Brasil e mostre venezuelanos partidários do presidente Nicolás Maduro atacando membros do Exército brasileiro, como afirmam publicações nas redes (veja aqui). As imagens, na realidade, foram filmadas em 28 de julho deste ano no departamento de Santander, na Colômbia, e mostram dois adolescentes gritando e atirando paus e pedras em um militar daquele país. Na ocasião, um dos jovens foi baleado depois de agredir os soldados.

O Exército colombiano chegou a emitir um comunicado sobre o assunto depois de o vídeo viralizar nas redes sociais do país. “Em reação das tropas à agressão recebida, um soldado atirou e acabou por ferir um dos sujeitos. O comando lamenta informar que o jovem faleceu horas mais tarde em uma unidade médica do setor”, diz a nota.

No Brasil, o vídeo descontextualizado tem sido publicado em páginas e perfis pessoais no Facebook, onde acumula ao menos 15 mil compartilhamentos até a tarde desta sexta (30). Todas as postagens com a desinformação foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede (veja como funciona).


FALSO

Venezuelanos pró-Maduro, estão entrando no BRASIL junto com refugiados, e desafiam soldados do exército brasileiro com o intuito do revide por parte deles. Ai nas mancheres da imprensa lixo vão colocar que BOLSONARO manda exército agredir refugiados.

Um vídeo que mostra dois jovens atirando pedras em um militar circula nas redes sociais como se ilustrasse venezuelanos que teriam entrado no Brasil com refugiados para desafiar o Exército. No entanto, o material foi filmado na Colômbia e registra o ataque de adolescentes contra um soldado em um posto militar no departamento de Santander no dia 28 de julho. Na ocasião, um dos jovens acabou sendo baleado e morreu.

Segundo relatos do site Pulzo, os soldados faziam registros em um posto de controle no setor de La Lizama quando passaram a ser agredidos verbal e fisicamente pelos adolescentes. As imagens mostram que o alvo dos ataques tenta não responder às agressões e é apedrejado.

De acordo com um líder comunitário entrevistado pelo RCN Radio, os jovens iniciaram os ataques por que estariam cansados das constantes exigências dos soldados. O entrevistado lamentou a morte do adolescente, já que “consideramos que a força pública esteja aqui para proteger a comunidade”.

Em comunicado oficial, o Exército da Colômbia afirmou que um dos soldados reagiu às agressões do adolescente com um tiro. Levado ao hospital, o jovem acabou morrendo algumas horas mais tarde.