Aos Fatos

É falso que urnas estão programadas para horário de verão

Por Bárbara Libório

28 de outubro de 2018, 11h55


Circulam nas redes sociais imagens que alertam que as urnas estão programadas de acordo com o horário de verão — que, neste ano, foi adiado para novembro, em vez de iniciar em outubro. Por isso, segundo essas correntes, os votos efetuados antes das 9h e depois das 16h não seriam computados. Essas informações são FALSAS. O horário de verão começa apenas no dia 4 de novembro e os relógios não serão alterados antes disso. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, as urnas neste segundo turno estão preparadas para funcionar no mesmo horário que funcionaram no primeiro turno. A informação foi verificada por Aos Fatos, Fato ou Fake e Comprova.

No Facebook, a imagem tem sido postada por páginas e perfis pessoais. O conteúdo foi denunciado por usuários do Facebook e classificadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira, abaixo, o que checamos.


FALSO

Urnas estão estão programadas de acordo com o horário de verão.

O boato que começou a ser difundido no início da semana também já foi checado pelo Comprova e pelo Fato ou Fake. A informação é FALSA. O próprio TSE divulgou uma nota de esclarecimento em que afirma que, por solicitação do tribunal, o início do horário de verão foi alterado para depois do segundo turno. “Portanto, as urnas estarão preparadas para funcionar no mesmo horário que funcionaram no primeiro turno”, diz o comunicado.

Isso aconteceu em dezembro do ano passado, quando o presidente da República, Michel Temer, alterou o decreto n° 6.558/2008 para estabelecer que a partir deste ano o horário de verão tenha início depois do segundo turno das eleições. À época, o então presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes afirmou: “Com isso, teremos uniformidade nesse processo e as eleições vão começar às 8h e terminar as 17h de Brasília”.

Para o tribunal, o horário de verão durante as eleições atrapalharia a apuração de votos, em razão da maior diferença de fuso horário entre as cidades. Isso porque, devido aos quatro fusos horários no país, a votação não se inicia nem se encerra de modo concomitante em todo o território nacional, e o horário de verão contribuiria para agravar essa situação.

Neste sábado e domingo, a equipe do Aos Fatos se uniu a outras cinco agências de checagens de notícias no Brasil para verificar as mensagens de conteúdo suspeito nesta reta final das eleições. A ideia de juntar forças é para ganhar mais agilidade e aumentar o alcance das checagens. A parceria reúne o Fato ou Fake, Projeto Comprova, Lupa, Boatos.org e e-Farsas. Este conteúdo foi checado originalmente por Fato ou Fake e Comprova.