Aos Fatos

É falso que Tite afirmou que eleitores de Bolsonaro ‘são alienados’

Por Luiz Fernando Menezes

10 de julho de 2019, 16h15


Não é verdade que Tite, técnico da seleção brasileira masculina de futebol, disse em uma entrevista à TV Globo que os eleitores de Jair Bolsonaro seriam “alienados”. Além do Aos Fatos não ter identificado registros de que ele tenha proferido tal declaração à emissora ou a qualquer outro meio de comunicação, a assessoria do treinador nega o que vem sendo compartilhado em publicações nas redes sociais (veja aqui).

Esta é a segunda vez que a peça de desinformação ganha força nas redes: a primeira foi em dezembro de 2018, logo após uma entrevista de Tite ao canal SporTV. Publicações com este conteúdo no Facebook já têm mais de 1.500 compartilhamentos nesta quarta-feira (10) e foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (veja como funciona).


FALSO

Tite fala em entrevista à Globo: ‘Eleitores de Bolsonaro são alienados’

Logo após a seleção brasileira masculina de futebol ser campeã da Copa América, voltou a circular nas redes sociais uma imagem do técnico da seleção, Adenor Leonardo Bacchi, o Tite, acompanhada da suposta afirmação sobre os eleitores do Bolsonaro serem "alienados", que teria sido feita em entrevista à Rede Globo. Porém, Aos Fatos não identificou registros que atestem a existência desta declaração, que foi classificada como “fake” pela assessoria do treinador.

Esta desinformação surgiu no final de 2018 nas redes sociais após uma entrevista de Tite ao canal SporTV. Na ocasião, ao ser perguntado sobre a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições, ele afirmou não ser nenhum “alienado político”, mas que preferia não se posicionar publicamente a respeito. O termo “alienado”, portanto, não foi empregado em relação aos eleitores do presidente. Na época, o Boatos.org publicou uma checagem sobre o tema.

Desta vez, o conteúdo enganoso voltou a circular na esteira da repercussão da vitória na Copa América. Nas redes sociais, a imagem de Tite ao ser cumprimentado pelo presidente geraram rumores de que o técnico teria evitado saudar Bolsonaro. Meses antes do torneio, o treinador havia declarado que não se encontraria com o presidente: “a minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura [entre futebol e política]”.

Tite já opôs-se a aproximações com outros presidentes da República, não apenas com Bolsonaro. Durante a Copa do Mundo de 2018, o técnico disse que não iria à Brasília para não legitimar políticos nem que posaria ao lado de Michel Temer caso a seleção fosse campeã.

Na entrevista de dezembro ao SporTV, ele também disse ter errado ao levar a taça da Libertadores a um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: “em 2012, eu errei. Ele [Lula] não era presidente, mas fui ao instituto e mandei felicitações por um aniversário. Não me posicionei politicamente. Não tenho partido político, tenho sim a torcida para que o Brasil seja melhor em igualdade social”.

Referências:

1. UOL
2. Folha de S.Paulo
3. R7
4. SporTV