Aos Fatos

É falso que PT pediu liminar para barrar projeto de dessalinização de Bolsonaro

Por Luiz Fernando Menezes

31 de dezembro de 2018, 13h45


Não é verdade que o PT entrará com uma liminar para barrar o projeto anunciado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) de importar tecnologia de dessalinização de Israel no combate à seca no Nordeste brasileiro. A informação falsa consta em posts que circulam no Facebook desde o fim de semana.

Essas mesmas publicações também enganam ao sustentar que advogados ou a presidente da legenda, senadora e deputada federal eleita Gleisi Hoffmann (PT-PR), teriam dito que a seca nordestina não poderia ser combatida, uma vez que seria “cultural, quase um patrimônio”. Não há registros iguais ou similares na imprensa ou nos perfis em redes sociais da senadora e do próprio Partido dos Trabalhadores.

Denunciados por usuários do Facebook, os posts enganosos, juntos, já passam de dois mil compartilhamentos. Os conteúdo foram marcados por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta da verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo mais detalhes do que checamos.


FALSO

O PT entrou com uma liminar, pedindo a anulação do Projeto do Bolsonaro com Israel para acabar com a seca do Nordeste, “a seca no Nordeste é cultural, quase um patrimônio, e não deve ser destruída”, disse Gleisi Hoffmann.

Com poucas diferenças, duas publicações identificadas por Aos Fatos nesta segunda-feira (31) enganam ao afirmar que o partido do ex-presidente Lula entrou na Justiça contra o plano do presidente eleito de usar tecnologia israelense de dessalinização para levar água ao Nordeste.

A primeira traz uma montagem que simula uma manchete, dizendo que “PT entrará na justiça para impedir que Bolsonaro combata seca no nordeste”. A segunda, conferida ao perfil falso Monica Bengamo, uma alusão à colunista da Folha de S.Paulo, Mônica Bergamo, diz que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou que a “seca no Nordeste é cultural”. Nada disso é verdade.

A manchete, além de não ter sido encontrada por Aos Fatos em nenhum site de notícias, traz características de montagem: a imagem utilizada para ilustrar é de quando o PT registrou a candidatura de Lula às eleições deste ano e há a tag “Desemprego”, que nada tem a ver com a suposta notícia. Além disso, o projeto de dessalinização ainda não existe formalmente, tendo sido apenas divulgado por Bolsonaro no Twitter. Logo, não há nada que possa ser anulado por meio de liminar na Justiça.

Gleisi Hoffmann chegou a se posicionar sobre a importação de tecnologias israelenses para combater a seca no Nordeste, mas não disse nada parecido com a declaração que lhe foi atribuída nas publicações checadas. Em seu Twitter oficial, por exemplo, ela comparou o tamanho do território de Israel com o brasileiro e também citou políticas do governo Lula:

Também não há nota oficial do PT em seu site em reação ao projeto do presidente eleito, apenas um artigo da Rede Brasil Atual intitulado “Dessalinização que Bolsonaro busca em Israel existe no Nordeste desde 2004”.

Uma frase semelhante a que foi atribuída à petista pode ser conferida, na verdade, em um tweet do usuário @macunaimaz: “PT entra na justiça para impedir que Bolsonaro combata seca no nordeste. Advogado do partido dos trabalhadores alega que seca é patrimônio da região e deve ser preservada”. O perfil, como diz a própria biografia na rede social, é contra a "corrupção, injustiça, mentira e a hipocrisia". Além de apoiar Bolsonaro e o juiz Sergio Moro, ele também tem participação ativa na proliferação de boatos e publicações contrárias ao PT.

Procurados por Aos Fatos nesta segunda-feira (31) para comentar os posts falsos, Gleisi Hoffmann e o PT não se manifestaram até a publicação desta checagem.

Dessalinização. No dia 25 de dezembro, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou em seu Twitter (o tweet foi apagado posteriormente) que o futuro ministro da Ciência e Tecnologia, o astronauta Marcos Pontes, iria a Israel em janeiro com o intuito de visitar instalações de dessalinização, plantações e o escritório de patentes do país do Oriente Médio. O objetivo seria o de conhecer tecnologias capazes de mitigar os efeitos da seca na região Nordeste.

“Também estudamos junto ao embaixador de Israel e empresa especializada testar tecnologia que produz água a partir da umidade do ar em escolas e hospitais da região. Poderemos, inclusive, negociar a instalação de fábrica no Nordeste para venda desses equipamentos”, continuou Bolsonaro.

A tecnologia de dessalinização, porém, não é uma novidade no país. Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, desde a década de 1990, no governo FHC, já existem dessalinizadores para tratar água salobra do semiárido. Já de acordo com o UOL, nos últimos 30 anos foram instalados de 3.500 a 4.000 equipamentos do tipo.

A dessanilização é uma tecnologia utilizada para purificar a água com concentrações de sal do subsolo. Iniciado no governo FHC, foi ampliado durante os anos petistas. No entanto, o projeto enfrentou entraves por causa do valor elevado para a implantação e a operação das estações dessalinizadoras.