Aos Fatos

É falso que PT nomeou Aloysio Nunes embaixador nos EUA

Por Luiz Fernando Menezes

15 de julho de 2019, 12h09


Não é verdade que o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB) foi nomeado embaixador do Brasil nos EUA durante os governos petistas, como afirmam publicações nas redes sociais. Nunes, na verdade, foi ministro das Relações Exteriores de 2017 a 1º de janeiro de 2019, durante o governo de Michel Temer.

A desinformação (veja aqui) passou a ser difundida nas redes logo após o presidente Jair Bolsonaro anunciar, na última quinta-feira (11), que pretende indicar um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador do Brasil nos EUA.

O texto que traz essa informação falsa foi publicado por diversos perfis pessoais no Facebook e acumula, até a manhã desta segunda-feira (15), cerca de 2.500 compartilhamentos. Todas as postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de monitoramento da rede social (veja como funciona).


FALSO

Só para lembrar, o PT nomeou embaixador nos EUA o Aloísio Nunez [sic.]. Ex motorista do terrorista assassino Marighella.

A publicação que circula nas redes sociais erra ao afirmar que o PT nomeou Aloysio Nunes embaixador do Brasil nos EUA. A proximidade do ex-senador tucano com o Itamaraty ocorreu no governo de Michel Temer, quando ele foi ministro das Relações Exteriores de março de 2017 a 1º janeiro de 2019. Atualmente, a pasta é comandada por Ernesto Araújo.

Durante o governo do PT, o Brasil teve quatro embaixadores nos EUA: Roberto Pinto Ferreira Abdenur (abril 2004 a janeiro 2007), Antonio de Aguiar Patriota (fevereiro de 2007 a outubro de 2009), Mauro Luiz Iecker Vieira (janeiro de 2010 a dezembro de 2014) e Luiz Alberto Figueiredo (maio de 2015 a setembro de 2016). Todos eles eram diplomatas de carreira. O último embaixador brasileiro nos EUA foi Sérgio Amaral, nomeado pelo ex-presidente Michel Temer.

A única informação verdadeira do texto é a relação de Nunes com do guerrilheiro Carlos Marighella. O ex-senador foi filiado ao PCB, membro da ALN (Ação Libertadora Nacional) e chegou a participar do assalto ao trem pagador Santos-Jundiaí. Segundo reportagem do jornal O Globo, Nunes de fato foi motorista do guerrilheiro em algumas ocasiões.

Referências:

1. Brazil Journal
2. Ministério das Relações Exteriores
3. Estadão
4. Poder360
5. Uol Notícias
5. O Globo