Aos Fatos

É falso que novo filme da Disney mostra Branca de Neve e Anna se beijando

Por Luiz Fernando Menezes

14 de maio de 2019, 18h41


Uma notícia falsa surgida em 2016 voltou a ganhar fôlego nas redes sociais nos últimos dias: uma nova animação infantil da Disney terá uma cena de beijo entre as personagens Branca de Neve e Anna, de ‘Frozen’. A imagem que serviria como prova desta afirmação é, na verdade, parte de uma série de 12 gravuras produzidas há três anos pelo artista norte-americano Isaiah Stephens, que retratam as princesas da Disney como lésbicas.

Desta vez, publicações que reproduzem a imagem e as informações enganosas já acumulavam mais de dez mil compartilhamentos no Facebook na tarde desta terça-feira (14). Denunciadas por usuários da rede social, o conteúdo foi marcado com o selo FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela plataforma (entenda como funciona).


FALSO

Essa imagens são de um filme novo da Disney para crianças, vamos ficar ligados, envie nos grupos do WhatsApp e seus amigos no face para alertar as famílias.

Voltou a circular nas redes sociais uma imagem feita pelo artista norte-americano Isaiah Stephens em 2016 em que duas princesas da Disney — Branca de Neve e Anna — aparecem se beijando. Segundo a peça de desinformação, a foto faria parte da divulgação de um novo filme da empresa de entretenimento.

A imagem em questão não foi produzida com a chancela da Disney e faz parte de uma série de 12 imagens feitas pelo artista, que imaginou como seria se as princesas se apaixonassem umas pelas outras. Stephens também fez outras séries com as princesas, como a que as reimagina como mães.

Em 2016, quando circulou pela primeira vez, a desinformação foi verificada como falsa pelo e-Farsas. Desta vez, o conteúdo ganhou tração logo após o programa Greg News, da HBO, relembrar um vídeo de 2018 em que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, declara que a princesa Elsa, de Frozen, seria lésbica e que “vai acordar a Bela Adormecida com um beijo gay”.

Elsa lésbica. Como explicado anteriormente por Aos Fatos, Damares utiliza como prova de seu argumento a capa do livro A bela e a adormecida, de Neil Gaiman, publicado em 2015. O livro de Gaiman não tem nenhuma relação com o filme Frozen ou com a Disney.

Na última segunda-feira (13), a ministra explicou, em evento em Suzano (SP), que falava de “uma matéria que tinha lido em que a autora da obra estava dizendo que, no próximo episódio do filme, a princesa viria lésbica. Eu estava explicando aos pais de uma igreja sobre isso”.

Meses antes da palestra de Damares, o HuffPost publicou uma entrevista com a co-diretora Jennifer Lee sobre o movimento de internautas (#GiveElsaAGirlfriend) que pediram que a princesa aparecesse com uma namorada no próximo filme. Em sua fala, Lee apenas demonstra felicidade pela personagem “conversar com tantas pessoas” e que sua equipe já conversou sobre a possibilidade: “veremos onde isso vai dar”. Não há, no entanto, nenhuma confirmação. Sites como o Guiame e o Blog do Padre Paulo Ricardo basearam-se na entrevista para sugerir que a Disney poderia “tirar Elsa do armário”, quando nem a empresa nem os produtores do filme confirmaram essa informação.