Aos Fatos

É falso que Glenn Greenwald foi preso pela PF ao embarcar em aeroporto

Por Luiz Fernando Menezes

24 de julho de 2019, 12h31


Não é verdade que o jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, tenha sido detido pela PF (Polícia Federal) em aeroporto quando tentava fugir do país, como afirmam diversas publicações no Facebook e no Twitter (veja aqui). Além de a PF ter negado a ocorrência, o seu diretor, Maurício Valeixo, já afirmou que Greenwald não é alvo de inquérito.

A falsa informação passou a circular nas redes após a notícia de que a PF prendeu quatro suspeitos de terem invadido os celulares do ministro da Justiça, Sergio Moro, e do procurador Deltan Dallagnol. Não há ainda informações sobre a relação dos quatro detidos com as mensagens privadas da força tarefa da Lava Jato divulgadas por The Intercept Brasil.

Essas publicações aparecem em perfis pessoais no Facebook e somavam mais de 7.000 compartilhamentos até o final da manhã desta quarta-feira (24). Todas as postagens foram marcadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação do Facebook (veja como funciona).


FALSO

Glenn Greenwald foi detido pela PF no aeroporto. Ele já tinha despachado 11 malas no check in da American Airlines. Seus 3 advogados tinham prontos habeas corpus preventivos. Um dos advogados é o Zanin, o mesmo do Lula!

URGENTE!!! Glenn Greenwald acaba de Ter decretada prisão preventiva!! A polícia Federal acaba de impedir o espião de sair do país. Já teria despachado American Airlines, no ghichê de check-in e foi barrado pelos policiais. Estava fugindoooooooooooooooooo!

Logo após o anúncio, na tarde da última terça-feira (23), de que a PF prendeu quatro suspeitos de terem invadido os celulares do ministro da Justiça, Sergio Moro, e do procurador Deltan Dallagnol, passou a circular nas redes a informação de que Glenn Greenwald, editor de The Intercept Brasil, teria sido detido no aeroporto quando tentava fugir do Brasil. Em nota enviada ao Aos Fatos, a PF negou a ocorrência. O diretor da instituição, Maurício Valeixo, também afirmou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que não há nenhum inquérito instaurado para investigar o jornalista.

O The Intercept Brasil também negou a veracidade do boato em nota enviada ao Aos Fatos, disse que Greenwald sequer foi ao aeroporto e que Cristiano Zanin nunca advogou para o jornalista.

Os quatro suspeitos foram presos na Operação Spoofing, que investiga o acesso aos celulares de autoridades. Segundo O Globo, a PF tenta descobrir se eles têm alguma relação com os vazamentos das conversas entre integrantes da força tarefa da Lava Jato. Isso significa, portanto, que não há confirmação de que os quatro detidos tenham relação com o material que tem sido publicado por The Intercept Brasil.

Em algumas versões do boato, é utilizada uma foto de uma multidão em frente à Polícia Federal do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, como se ela retratasse o momento da detenção de Greenwald. A imagem, registrada por Renato S. Cerqueira, da Folhapress, no entanto, é de março de 2016, quando o ex-presidente Lula foi levado em condução coercitiva para depor durante uma das fases da operação Lava Jato.

Referências:

1. O Globo
2. Estadão
3. InfoMoney
4. Veja


Esta checagem foi atualizada às 12h50 do dia 24 de julho de 2019 para acrescentar a nota enviada pelo The Intercept Brasil.