Aos Fatos

É falso que empresa contratada pelo TSE tem ligação com o PT

Por Bárbara Libório

27 de outubro de 2018, 10h31


Não é verdade que empresa contratada pelo TSE para apuração dos votos do segundo turno das eleições tem ligação com o PT. A informação disseminada por páginas e perfis nas redes sociais é FALSA por dois motivos: 1. A empresa em questão não foi contratada para serviços de apuração, mas para auxiliar na divulgação de resultados via internet; 2. As pessoas apontadas como sócias e apoiadoras do PT não têm nenhuma ligação com a empresa.

No Facebook, o vídeo postado pela página Direita Goiás teve mais de 50 mil compartilhamentos e 910 mil visualizações. Vídeos e imagens postados em outras páginas e perfis pessoal também tiveram mais de 1.500 compartilhamentos. O conteúdo foi denunciado por usuários do Facebook e classificadas com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que foi verificado.

FALSO

Empresa contratada pelo TSE para apuração dos votos tem ligação com o PT

A empresa CPD Consultoria, Planejamento e Desenvolvimento de Sistemas foi convocada pelo TSE na última semana para fazer a divulgação de informações sobre a apuração dos votos nas eleições do domingo. A empresa participou de uma licitação para a contratação do serviço de distribuição de informações públicas e aceleração de conteúdo não intrusivo, por via de disponibilização de uma rede de distribuição de conteúdos (Content Distribution Network -CDN) para replicação de informações dos portais da Justiça Eleitoral. A empresa vencedora foi a BRCloud Services Ltda, mas o contrato com ela foi rescindido este mês, segundo o TSE, por descumprimento contratual. “Em síntese, no primeiro turno da eleição deste ano a empresa não prestou adequadamente o serviço contratado, não ampliando a capacidade de acessos aos sites, gerando uma série de contratempos que impactaram a distribuição dos conteúdos gerados pela Justiça Eleitoral”, disse o tribunal em nota de esclarecimento. A segunda colocada do pregão, a CPD, foi então convocada e receberá R$ 532 mil pelo serviço.

O TSE também esclareceu que o serviço não faz parte do processo de apuração e de totalização das eleições — trata-se de uma ferramenta para ampliar a capacidade de acessos às páginas na internet dos tribunais eleitorais, devido ao grande número de visitantes durante o período eleitoral.

A CPD tem como sócios os irmãos Christian Leite Limp de Azevedo e Luciana Leite Limp de Azevedo. Mas as falsas publicações viralizaram dois perfis de redes sociais que não pertencem a eles, e sim a usuários com nomes parecidos, onde foram encontradas informações consideradas favoráveis a Fernando Haddad (PT) e contrárias a Jair Bolsonaro (PSL).

Ao Comprova, Christian Leite Limp de Azevedo afirmou que sequer tem perfil na rede social. . “Aquele perfil que acharam não é meu. Aquele Christian Azevedo não sou eu. O perfil que acharam também não é da minha irmã”, afirmou o empresário, que é filiado ao partido Novo segundo a relação do TSE.

O homem que foi confundido com ele é Christian Jesus Silva de Azevedo, que desde o dia 25 tem postado esclarecimentos na sua rede social afirmando que não tem ligação com a empresa. Segundo as informações de seu perfil, ele é professor de um curso preparatório para concursos e auditor fiscal da Receita Estadual do Rio Grande do Sul. “Sou auditor e professor. Não tenho e nunca tive empresa. O que estão fazendo é uma irresponsabilidade e uma maldade”, afirmou ele em uma postagem. De acordo com o Comprova, ele prestou queixa à Polícia Civil por conta dos ataques, ameaças e ofensas que vem recebendo.

Já o perfil de Luciana Sabino informa que ela é historiadora. Luciana Leite Limp de Azevedo, no entanto, a verdadeira sócia da CPD, é psicóloga com perfil ativo no Conselho Regional de Psicologia.