Aos Fatos

É falso que Ciro Gomes declarou voto em Jair Bolsonaro

Por Alexandre Aragão

26 de outubro de 2018, 17h57


Um texto publicado no Jornal da Cidade Online afirma de maneira falsa que o candidato a presidente derrotado Ciro Gomes (PDT) declarou voto em Jair Bolsonaro (PSL). Na verdade, Ciro e seu partido declararam “apoio crítico” a Fernando Haddad (PT) antes de ele viajar de férias para Paris.

Desde então, o petista passou a atuar para que Ciro fizesse um gesto mais significativo, o que ainda não ocorreu. “Até minha mulher tá com ciúme do Ciro já, de tanto aceno que eu faço pra ele”, disse Haddad durante entrevista coletiva na quinta-feira (25). Nesta sexta (26), o PDT anunciou que Ciro gravará um vídeo pedindo voto no candidato do PT.

Publicado na noite de quarta (24), o texto do Jornal da Cidade Online foi compartilhado cerca de 3.600 vezes no Facebook, das quais 1.546 na página do próprio site e outras 1.445 na página “Movimento do Povo Brasileiro”. Denunciado por usuários, o conteúdo foi marcado por Aos Fatos com o selo FALSO na ferramenta de checagem (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

Ciro Gomes volta da Europa e vota em Bolsonaro

Ainda durante o primeiro turno, em 13 de setembro, Ciro declarou que, caso Haddad — à época atrás dele nas pesquisas de intenção — o ultrapassasse e fosse para o segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL), ganharia seu voto. “Se ele [Haddad] for para o segundo turno, voto nele, simples assim. Como votei nos últimos 16 anos, engolindo tudo o que eu não precisava engolir”, afirmou, centrando críticas ao PT.

Após o primeiro turno, Ciro viajou de férias a Paris após o PDT declarar, por meio de nota à imprensa, “apoio crítico” à candidatura petista. Em um ato de campanha petista no segundo turno, o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE), irmão de Ciro, reclamou do que considera falta de autocrítica do PT: “Tem que fazer um mea culpa. Tem que pedir desculpas. Tem que ter humildade e reconhecer que fizeram muita besteira”, disse.

Pouco antes de ser vaiado pela plateia, Cid emendou: “É assim, é. Pois tu vai perder a eleição. É, bem feito perder a eleição. E vão perder feio. Porque fizeram muita besteira. Porque aparelharam as repartições públicas. Porque acharam que eram donos de um país, e o Brasil não aceita ter dono. O Brasil é um país democrático. Quem criou o Bolsonaro foram essas figuras, que acham que são donos da verdade, que acham que podem fazer tudo. Que acham que o fim justifica os meios.”

O vídeo da crítica de Cid ao PT foi usado por Bolsonaro na propaganda eleitoral, o que ocasionou um segundo vídeo, gravado pelo senador eleito para reafirmar que vota em Haddad e repudia Bolsonaro. “Com tudo que penso e diante de tudo que falei, não é correto o que fez o outro candidato usando imagens minhas, editadas, sem minha autorização”, afirma Cid. “Que não fique nenhuma dúvida: neste segundo turno, Haddad é o melhor para o Brasil.”

A volta de Ciro da Europa está marcada para a noite desta sexta-feira (26). O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que o candidato derrotado gravará um vídeo: “Ele [Ciro] já declarou [voto em Haddad], vai reforçar isso. Eu estou indo para o Ceará para conversar com o Ciro para saber como vamos fazer, mas que a gente vai fazer, vai. Não sei dá tempo para isso [ato público], mas para a rede social nós vamos gravar um vídeo sobre isso.”

Ciro já se declarou contrário ao capitão reformado em diversas ocasiões. A própria nota do PDT em que “declara seu apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad”, divulgada na semana após o primeiro turno, cita que o posicionamento é “para evitar a vitória das forças mais reacionárias e atrasadas do Brasil e a derrocada da democracia”, referindo-se a Bolsonaro.

Na véspera do debate da Globo no primeiro turno, Ciro declarou: “Aqui é uma democracia que vai sobreviver a você [Bolsonaro] e eu vou tirar a sua máscara. Você não pode deixar de ir ao debate. Você está mentindo e atestado médico falso é crime. Vá ao debate da Globo e vou mostrar que você é uma cédula de três real.”

Em nota, o Jornal da Cidade Online afirmou que o texto é um artigo de opinião e que em nenhum trecho, apesar de ter o título "Ciro Gomes volta da Europa e vota em Bolsonaro", afirma que o ex-presidenciável do PDT declarou voto no adversário do PSL.

"Absurdo. Em momento algum a matéria diz que Ciro declarou voto em Bolsonaro. Trata-se de conteúdo opinativo. Querem castrar o direito de opinião? Querem classificar como "Falsa" uma análise opinativa. Ademais, o voto é secreto. Lamentável e inadmissível. Vocês não têm esse direito. Em 40 anos dedicados ao jornalismo nunca vi isso. Peço respeito", disse o editor do site, José Tolentino, em mensagem enviada à reportagem.

Aos Fatos entrou em contato na tarde desta sexta (26) e com a assessoria de imprensa de Ciro Gomes. Esta checagem será atualizada caso haja resposta.