Aos Fatos

Brasileira não saiu do Miss Universo por gritar ‘Lula Livre’; sátira é tratada como verdade

Por Luiz Fernando Menezes

18 de dezembro de 2018, 14h43


A amazonense Mayra Dias, atual Miss Brasil, não foi desclassificada do concurso Miss Universo após gritar ‘Lula Livre’. A história, falsa, é uma sátira postada pela página de humor Portal do Rolanda, mas que passou a ser reproduzida por várias outras páginas e perfis pessoais no Facebook como se tivesse de fato acontecido. Juntos, os posts identificados por Aos Fatos já acumulam mais de 2.000 compartilhamentos.

Denunciados por usuários do Facebook, esses conteúdos foram marcados com o selo FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo, em detalhes, o que checamos.


FALSO

Mayra Dias grita Lula Livre durante Miss Universo e é desclassificada.

A Miss Brasil Mayra Dias realmente não conseguiu ser selecionada para a fase final do Miss Universo, tendo ficado entre as 20 primeiras colocadas do concurso realizado no domingo (16). No entanto, ela não gritou ‘Lula Livre’ durante o evento nem há evidências de que a desclassificação tenha razões políticas.

Isso porque a origem do boato é uma sátira publicada pela página de humor Portal do Rolanda, que se intitula como “Perfil não oficial, apenas uma sátira, não leve nada a sério o que você vir por aqui, todas as notícias são fictícias”. O nome da página faz alusão a um site noticioso do Amazonas chamado Portal do Holanda, que, por sua vez, publicou o discurso de apenas 15 segundos proferido por Mayra na segunda fase do Miss Universo:

Olá, Tailândia. Eu sou Mayra Dias, Miss Brasil 2018, e eu tenho orgulho de dizer que eu sou da Amazônia do Brasil. A missa missão é conscientizar as pessoas sobre a importância do meio ambiente. É crucial garantir o futuro das próximas gerações. Conservar a Amazônia é crucial. Obrigada.

Além disso, esta não foi a única história inventada pelo Portal do Rolanda sobre o Miss Universo: um outro post com a foto da Miss Espanha, Angela Ponce, primeira modelo transgênero a concorrer ao prêmio, trazia o título “Homem rouba a cena do Miss Universo e Feminazis ameaçam suicídio coletivo”.

Porém, as evidências de que a história da desclassificação da Miss Brasil era uma piada não foram suficientes para evitar que a publicação fosse reproduzida por páginas e perfis pessoais no Facebook como se fosse verdade.

“Hoje aquele ditado popular fez mais sentido do que nunca, que beleza não é sinônimo de inteligência. Parabéns pra você, desclassificada do concurso por defender um ladrão, é uma idiota”, postou uma usuária do Facebook, cuja publicação já tem 159 compartilhamentos. “Foi gritar nome de bandido”, advertiu a página Bolsonaro Mito ao reproduzir o boato (874 compartilhamentos até a tarde desta terça-feira, 18).

O evento. O Miss Universo 2018 foi realizado na Tailândia na noite do último domingo (16) e terminou com a vitória da modelo filipina Catriona Gray. Ela é a quinta Miss Filipinas a ganhar o prêmio. Tamaryn Green, Miss África do Sul, e Sthefany Gutiérrez, Miss Venezuela, ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente. A Miss Brasil, que garantiu a vaga no Top 20 após a repescagem, não conseguiu se classificar entre as dez primeiras.