Aos Fatos

Bolsonaro não disse que paciente com câncer 'custa muito caro' e que vai cortar tratamento

Por Luiz Fernando Menezes

22 de novembro de 2018, 16h58


O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) não disse que pacientes com câncer custam caro ao Estado e que iria 'cortar essa farra', em uma referência ao tratamento contra a doença que é ofertado pelo SUS (Sistema Único de Saúde). A falsa declaração tem sido compartilhada por perfis pessoais no Facebook nos últimos dias como se tivesse sido extraída de uma entrevista à Folha de S.Paulo, mas ela não foi publicada por esse jornal ou veiculada por qualquer outro meio.

Usuários do Facebook denunciaram dezenas de posts com esse mesmo conteúdo, que foi checado e marcado por Aos Fatos como FALSO na ferramenta de verificação da rede social (entenda como funciona).

Confira abaixo o que checamos.


FALSO

Bolsonaro: Um paciente com câncer custa muito caro para o Estado. Vamos cortar essa farra.

Uma montagem com a frase acima e uma foto do presidente eleito Jair Bolsonaro circula pelas redes sociais e atribui como fonte da declaração uma entrevista à Folha de S.Paulo, sem precisar a data. Em busca ao acervo do jornal, porém, Aos Fatos não encontrou esta ou qualquer outra declaração similar a respeito do custo de pacientes de câncer.

Também não foram identificadas em outros sites de notícia, em páginas em redes sociais ou nas notas taquigráficas do Congresso Nacional declarações iguais ou similares à da montagem.

Verificações similares deste conteúdo enganoso já foram realizadas recentemente pela Agência Lupa e pelo e-Farsas.

Direitos do paciente. Vale ressaltar que desde 2003, o Brasil possui uma Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer (Portaria 874/2003) para assegurar o cuidado integral de usuários com câncer na rede do SUS. Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva), existem atualmente 288 unidades e centros de assistência habilitados para o tratamento da doença no Brasil.

Além disso, desde 2013, há também a “Lei dos 60 Dias” (PL 12.732/2012), que, como o próprio nome já dá a entender, estabelece que o primeiro tratamento oncológico no SUS deve começar em até 60 dias a partir da assinatura do laudo patológico do paciente.

O paciente com câncer ou que já teve a doença também possui alguns direitos, como isenção do Imposto de Renda sobre valores recebidos a título de aposentadoria, pensão ou reforma. Você pode conferir os direitos assegurados aqui.