Aos Fatos

Áudio de Bolsonaro em conversa exaltada no hospital é falso

Por Bernardo Moura

21 de setembro de 2018, 18h40


É falso um áudio que tem circulado nas redes sociais cuja voz é atribuída a Jair Bolsonaro e que teria sido gravado por uma enfermeira do hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde o presidenciável do PSL segue internado. A veracidade do conteúdo foi desmentida pela assessoria do hospital nesta sexta-feira (21) e pelos filhos do candidato, Carlos e Flávio Bolsonaro, em publicações no Twitter.

O áudio foi enviado por dezenas de leitores do Aos Fatos via WhatsApp com pedido para checagem — para participar, inscreva-se em (21) 99956-5882. Ele também foi denunciado por usuários do Facebook, tendo sido marcado como FALSO na ferramenta de verificação disponibilizada pela rede social (entenda como funciona).

O conteúdo falso começou a se espalhar primeiro no WhatsApp e logo se espraiou para outras redes sociais. No Facebook, por exemplo, uma das reproduções do áudio, publicada pela página Sou Esquerda e daí?, já foi ouvida 2,2 milhões de vezes e tem cerca de 60 mil compartilhamentos.

Confira, abaixo, o que checamos.


FALSO

Áudio gravado por enfermeira mostra Bolsonaro surtando após divulgação de pesquisa Ibope

Não é verdade que uma enfermeira do Hospital Albert Einstein teria gravado áudio do candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, em uma conversa exaltada com seu filho, e deputado federal, Carlos Bolsonaro (PSL-SP). Na mensagem, a voz que foi atribuída ao presidenciável diz que quer sair do hospital logo pois tem uma “eleição pra ganhar”. “E você me mantendo aqui nessa merda de teatro”, emenda ainda, dando a entender que a sua internação, iniciada em 7 de setembro último, pode ter sido forjada.

Também sobram xingamentos para o vice Hamilton Mourão (PRTB), o adversário Fernando Haddad (PT) e para a própria enfermeira, que não serviria “nem pra tirar injeção”.

Por telefone, a assessoria de imprensa do hospital Albert Einstein informou ao Aos Fatos nesta sexta-feira (21) que o áudio “é uma fake news”.

Aos Fatos também analisou o áudio, cuja qualidade da gravação dá indícios de ser fraudulento. É comum alterar o formato da gravação para evitar que análises periciais sejam feitas, e sua veracidade, comprovada. Nesse caso, o tom da voz, somado à qualidade do áudio, denotam que se trata de uma falsificação.

A análise do Comprova, coalizão de veículos que Aos Fatos apoia, também confirmou com peritos profissionais que se trata de um áudio forjado.

Os filhos de Jair, Carlos e Flavio Bolsonaro também negaram a veracidade do áudio. Em tweet publicado na última quarta-feira (19), Carlos, que é vereador do PSL na cidade do Rio de Janeiro, disse: “A mais nova fake news com [sic] um áudio em que dizem ser Bolsonaro reclamando no hospital. O negócio é mais mal feito do que dizer que Socialismo e Liberdade andam juntos!”

Na mesma rede social, Flavio Bolsonaro, candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro, compartilhou nesta quinta-feira (20) um texto do site Conexão Política, que usa o tweet de Carlos para atestar a falsidade do áudio, e escreveu: “Dando RT para encerrar o assunto, caso alguém ainda acredite nessa grosseira fake news. Muitas outras surgirão, fiquem ligados nas redes sociais oficiais da família Bolsonaro”.

O áudio falso circula no WhatsApp ao menos desde a noite da última terça-feira (18), data em que Aos Fatos recebeu a primeira mensagem de leitor pedindo uma checagem do conteúdo. Foram, ao todo, doze pedidos — o que dá uma dimensão da viralização da mensagem. No entanto, não é possível medir o alcance exato deste áudio no WhatsApp por conta de características do serviço de troca de mensagens.

No Facebook, o primeiro registro público do áudio foi em post da página Sou Esquerda e daí? da última quarta-feira (19). Até a tarde desta sexta-feira (21), o conteúdo já teve 2,2 milhões de reproduções e cerca de 60 mil compartilhamentos. O áudio falso também foi reproduzido em postagens públicas de ao menos uma dezena de perfis pessoais naquele rede social.

Esta reportagem foi atualizada às 20h21 de 21 de setembro de 2018 para acrescentar informações relativas a perícias técnicas no áudio.