Aos Fatos

Aos Fatos vence desafio contra 'fake news' e desenvolverá robô para Twitter

1 de abril de 2018, 12h20


Vencedor do desafio lançado pelo site Catraca Livre em parceria com o Instituto SEB de Educação e apoio da Microsoft, Aos Fatos anuncia neste domingo (1) que estenderá as operações de sua robô Fátima para o Twitter.

Fátima é o braço de inteligência artificial do Aos Fatos, cujo primeiro desdobramento foi anunciado em janeiro, por meio de uma parceria com o Facebook. Trata-se de um chatbot que guiará os usuários da rede social pelos meadros da checagem de fatos: dará dicas de como separar notícia de opinião, de como encontrar dados confiáveis para diversos temas e mesmo de como saber se uma fonte é confiável ou não. Para o Twitter, entretanto, Fátima atuará de maneira diferente.

O perfil @fatimabot centralizará um aplicativo web que monitora tweets com links para notícias e informações falsas ou distorcidas e responde com uma mensagem didática e empática, apontando para uma checagem feita pela equipe de Aos Fatos. Trata-se de um estratégia inovadora de "checagem de guerrilha": a ideia é hackear estratégias de proliferação de desinformação se apropriando de seus instrumentos tecnológicos.

O bot vasculha o Twitter a cada 15 minutos, em busca de novos tweets que espalharam desinformação. Quando acha, ele tuíta automaticamente a checagem relacionada à URL. Os dados do tweet serão gravados em um banco de dados, de modo a ser possível saber quantas pessoas compartilharam o link com a informação falsa ou distorcida, e quantas clicaram em cada checagem individual. O bot prioriza pessoas com mais seguidores, para maximizar o impacto sem ser spammer.

O aplicativo foi idealizado pelo jornalista Pedro Burgos, ICFJ Knight Fellow e fundador do Impacto.jor, projeto apoiado pelo Google News Lab. "Aos Fatos adotou a ideia por convergir com nossa filosofia de querer alcançar todas aquelas pessoas que tiveram contato com informações falsas — e também porque são necessários vários braços e cérebros para dar tração e impacto à ideia", diz Tai Nalon, cofundadora e diretora do Aos Fatos.

O nome Fátima vem de “FactMa”, uma abreviação de “FactMachine”. É a voz e o cérebro dos projetos de inteligência artificial e automatização de checagem do Aos Fatos. Clique aqui para saber mais sobre outros projetos que estamos desenvolvendo.